Loading

Transição digital nas escolas: desafios e oportunidades Ana Paula Ferreira

OBJETIVOS

a) Conhecer e refletir sobre a importância dos referenciais DigCompEdu e DigCompOrg, no quadro do Programa de Digitalização das Escolas.

b) Identificar as múltiplas dimensões, variáveis, intervenientes e contributos das tecnologias digitais para a implementação dos Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das Escolas.

c) Reconhecer a importância da utilização de metodologias de Gestão da Mudança.

d) Identificar os fatores críticos de sucesso no desenvolvimento digital das Escolas, associados às estratégias para endereçar a dimensão humana da mudança.

Plano de Ação para a Educação Digital (2021-2027) da Comissão Europeia

Duas prioridades estratégicas:

1. Promover o desenvolvimento de um ecossistema de educação digital altamente eficaz

Utilização de um vasto e crescente leque de tecnologias digitais (aplicações, plataformas, software) para melhorar e alargar o âmbito da educação e da formação. Os modelos de aprendizagem em linha, à distância e semipresencial constituem exemplos específicos da forma como a tecnologia pode ser utilizada para apoiar os processos de ensino e aprendizagem.

2. Reforçar as competências e aptidões digitais para a transformação digital

Necessidade de dotar todos os aprendentes de competências digitais (conhecimentos, competências e atitudes) para viver, trabalhar, aprender e prosperar num mundo cada vez mais mediado por tecnologias digitais.

PLANO DE AÇÃO PARA A TRANSIÇÃO DIGITAL | Resolução de Conselho de Ministros n.º 30/2020, de 21 de abril

As principais ações do plano (educação):

• Disponibilização de equipamento individual a alunos e professores (várias fases de entrega);

• Garantia de conectividade móvel gratuita para alunos e professores;

• Acesso a recursos educativos digitais de qualidade (p. ex. manuais digitais; repositórios de RED);

• Forte aposta num plano de capacitação digital de docentes.

QUAL O PAPEL DA TECNOLOGIA EM EDUCAÇÃO?

EDUCAÇÃO 4.0

Abordagem holística da educação

Integração da tecnologia no ciclo regular de aprendizagem - centralidade do papel do aluno

  • modalidades mistas de ensino
  • ensino virtual
  • aprendizagem experimental
  • avaliação em tempo real
  • personalização da aprendizagem

“Motivação para a aprendizagem ao longo da vida, capacidade de adaptação à mudança contínua, capacidade para processar informação (e ajuizar da sua validade), pensamento crítico, trabalho colaborativo ou tolerância da diversidade”.

Paulo Santiago, Observador - 03 set 2020

“Como podemos preparar os estudantes para empregos que ainda não foram criados, para enfrentar desafios sociais que ainda não podemos imaginar e para utilizar tecnologias que ainda não foram inventadas? Como podemos equipá-los para prosperarem num mundo interligado onde precisam de compreender e apreciar diferentes perspetivas e visões do mundo, interagir respeitosamente com os outros e tomar medidas responsáveis em prol da sustentabilidade e do bem-estar coletivo?”

OCDE (2015). Future of Education and Skills 2030

Bússola de Aprendizagem 2030

7 elementos indissociáveis e complementares:

  1. Fundamentos essenciais
  2. Competências transformadoras
  3. Agenciamento/ co-agenciamento dos estudantes
  4. Conhecimento
  5. Aptidões
  6. Atitudes e valores
  7. Ciclo Antecipação-Ação-Reflexão

"A educação já não é apenas ensinar aos estudantes algo específico; é mais importante ensiná-los a desenvolver uma bússola e ferramentas de navegação confiáveis para que eles possam encontrar o próprio caminho num mundo cada vez mais complexo, volátil e incerto. A nossa imaginação, consciência, conhecimento, competências e, o mais importante, os nossos valores comuns, maturidade intelectual e moral e sentido de responsabilidade são o que nos guiará para o mundo se tornar um lugar melhor."

Andreas Schleicher (2019). Presentation at the Forum on Transforming Education, Global Peace Convention

A Mudança no Contexto Educativo

O potencial do Digital nas Organizações Educativas

  • Mais e melhor comunicação e colaboração
  • Menos burocracia
  • Inovação nas práticas de trabalho: ao nível do ensino e da aprendizagem e nas práticas organizacionais
  • Mais conhecimento assente no tratamento de informação
Conceção holística: abordagem integrada em todas as suas dimensões
DigComOrg - Referencial Europeu para as Competências Digitais das Organizações Educativas

Importância da transformação digital dos sistemas de Educação e Formação para o desenvolvimento da Europa.

Comissão Europeia: necessidade de as organizações Educativas reverem as suas estratégias organizacionais, para promoverem a sua capacidade de inovação e poderem explorar todo o potencial das tecnologias e conteúdos digitais.

DigCompOrg - O referencial Europeu para as Competências Digitais das Organizações Educativas surge, neste contexto, como o referencial que utiliza uma abordagem sistémica que acrescenta valor, promove a transparência, a comparatibilidade e a aprendizagem entre pares.

O DigCompOrg está organizado em 3 dimensões e 7 elementos-chave:

1. Dimensão organizacional

  • Liderança
  • Envolvimento e desenvolvimento profissional contínuo

2. Dimensão pedagógica

  • Recursos digitais
  • Ensino e aprendizagem
  • Práticas de avaliação
  • Promoção da competência digital dos alunos

3. Dimensão tecnológica

  • Infraestrutura e equipamento
SELFIE

A SELFIE (Self-reflection on Effective Learning by Fostering the use of Innovative Educational technologies - Autorreflexão sobre a aprendizagem eficaz através da promoção da utilização de tecnologias educativas inovadoras) é uma ferramenta gratuita concebida para ajudar as escolas a incorporar as tecnologias digitais no ensino, na aprendizagem e na avaliação.

Vantagens

  • A SELFIE envolve toda a comunidade escolar – dirigentes escolares, professores e alunos – num processo de 360 graus que abrange muitas áreas da prática escolar.
  • Porque cada escola é única, a ferramenta pode ser personalizada. A escola pode selecionar e adicionar perguntas e afirmações adequadas às suas necessidades.
  • As respostas são anónimas e os dados são seguros.
  • Uma vez concluída a SELFIE, cada escola recebe um relatório interativo personalizado que proporciona tanto dados detalhados como breves descrições dos pontos fortes e dos pontos fracos.

PANORÂMICA DAS ÁREAS

DigComEdu - Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores

Destina-se a educadores de todos os níveis de educação (da infância até ao ensino superior e educação de adultos)

Organizado em torno de 6 áreas e 22 competências

As seis áreas do DigCompEdu centram-se em diferentes aspetos das atividades profissionais dos educadores:

1: Envolvimento profissional - Usar tecnologias digitais para comunicação, colaboração e desenvolvimento profissional.

2: Recursos digitais - Selecionar, criar e partilhar recursos digitais.

3: Ensino e aprendizagem - Gerir e orquestrar o uso de tecnologias digitais no ensino e aprendizagem.

4: Avaliação - Usar tecnologias e estratégias digitais para melhorar a avaliação.

5: Capacitação dos aprendentes - Usar tecnologias digitais para melhorar a inclusão, a personalização e o envolvimento ativo dos aprendentes.

6: Promoção da competência digital dos aprendentes - Possibilitar aos aprendentes usar tecnologias digitais de forma criativa e responsável para informação, comunicação, criação de conteúdos, bem-estar e resolução de problemas.

Apresenta um modelo de progressão para ajudar os educadores a avaliarem e desenvolverem a sua competência digital.

COMO ARTICULAR ESTES DOIS REFERENCIAIS?

OS DESAFIOS DA MUDANÇA EM EDUCAÇÃO | GESTÃO DA MUDANÇA

3 áreas fundamentais explicam os Desafios da Mudança na Educação:

- A sua DIMENSÃO

- A COMPLEXIDADE das mudanças que pretende implementar

- As características da ORGANIZAÇÂO

Refletir e Aprender - que ensinamentos de projetos anteriores? que formação?

Articular e Integrar - articulação entre as diferentes iniciativas do Programa de Digitalização das Escolas e a integração dos diferentes projetos do Ministério da Educação

Colaborar para Transformar - esforço conjugado; colaboração e trabalho conjunto;

Definição de uma Visão, Planeamento Estratégico

Sinais de disponibilidade para a mudança

  • As pessoas não têm receio de experimentar
  • Os erros são vistos como oportunidades de aprendizagem
  • Fomenta-se a reflexão sobre as práticas
  • Propõem-se sugestões de melhoria
Mindset

O trabalho de Carol Dweck (Universidade de Stanford) mostra que existem dois tipos de mindsets (mentalidades ou atitudes mentais) - o fixed mindset (mentalidade fixa ou atitude negativa) e o growth mindset (mentalidade de crescimento ou atitude positiva).

Os 8 Passos para acelerar a Mudança | John Kotter

Passo 1 - Criar um Sentido de Urgência: envolver as pessoas que irão participar

Passo 2 - Criar alianças poderosas: identificar as pessoas que podem servir como agentes da mudança

Passo 3 - Construir uma Visão e Iniciativas Estratégicas: criar uma visão com os principais valores da mudança, de forma concisa e objetiva, para que todos compreendam o que deve ser feito no dia a dia para se adequarem a novas situações

Passo 4 - Investir na comunicação, mobilizando um "exército de voluntários": direcionar esforços para que a visão da mudança seja devidamente comunicada a todos os intervenientes

Passo 5 - Remover Barreiras para Facilitar a Ação: certificar-se de que as barreiras humanas, técnicas ou normativas sejam removidas para que as novas soluções possam ser abraçadas sem obstáculos

Passo 6 - Criar Vitórias/Metas de Curto Prazo: criar metas e incentivos para as equipas a curto prazo, com o objetivo de comemorar os objetivos alcançados

Passo 7 - Manter a Aceleração: manter o foco nas mudanças estruturais, mais profundas, pois só elas serão capazes de trazer melhorias contínuas

Passo 8 - Tornar a Mudança numa Regra - assegurar que os novos comportamentos são incorporados na organização

É necessário que cada Professor:

- Compreenda o valor das tecnologias digitais, para a melhoria do seu trabalho e para os melhores resultados dos seus alunos

- Decida abraçar este novo ciclo de transformação das suas práticas pedagógicas

- Adquira os Conhecimentos necessários para o fazer

- Seja capaz de os aplicar nas suas práticas diárias

- Aplique-os de forma continuada e duradoura

Desenvolvimento Profissional Contínuo | Aprendizagem ao Longo da Vida
PROFESSOR CURADOR

Prática reflexiva - permite ao professor estimular a reflexão individual e coletiva, bem como avaliar criticamente e desenvolver ativamente a sua prática pedagógica digital e a da sua comunidade educativa.

Desenvolvimento Profissional Contínuo (DPC) - uso de fontes e recursos digitais para desenvolvimento profissional contínuo.

Seleção de recursos educativos digitais - permite ao professor identificar, avaliar e selecionar recursos digitais para o ensino e aprendizagem, bem como levar em consideração o objetivo específico de aprendizagem, o contexto, a abordagem pedagógica e o grupo de aprendentes, ao selecionar recursos digitais e planificar a sua utilização.

Criação e modificação de recursos educativos digitais - permite ao professor modificar e desenvolver recursos existentes com licença aberta e outros recursos onde tal é permitido. Criar ou cocriar novos recursos educativos digitais. Ter em consideração o objetivo específico de aprendizagem, o contexto, a abordagem pedagógica e o grupo de aprendentes, ao selecionar recursos digitais e planificar a sua utilização.

Gestão, proteção e partilha de recursos educativos digitais - permite ao professor organizar conteúdo digital e disponibilizá-lo aos aprendentes, encarregados de educação e outros educadores. Proteger eficazmente conteúdo digital sensível. Respeitar e aplicar corretamente regras de privacidade e de direitos de autor. Compreender a utilização e criação de licenças abertas e de recursos educativos abertos, incluindo a sua atribuição apropriada.

Professor curador

Para assegurar o acesso persistente a dados digitais confiáveis, através da melhoria da qualidade desses dados, do seu contexto de pesquisa e da verificação de autenticidade.

Para aprendermos ao longo da vida, de forma autónoma.

Para nos mantermos atualizados.

Para termos recursos de qualidade para ensinar e aprender.

Para diminuir o gap entre a Escola, instituição conservadora por natureza, e a sociedade.

Para promover o pensamento crítico e uma visão mais abrangente sobre qualquer assunto, questionando, investigando, reunindo diversas vozes e pontos de vista.

Depósitos de VALOR é uma banca de conteúdos digitais

Conteúdos em vários formatos e organizados em grandes categorias:

  • Biblioteca digital
  • Recursos pedagógicos: Educação / Ensinar no Séc. XXI / Trabalho de projeto / Flexibilidade Curricular /
  • Ferramentas: Aplicações gratuitas/
  • Multiliteracias: Literacia dos média / Literacia digital / Literacia política / Outros
  • Recursos improváveis: A língua portuguesa / Leitura e escrita / Ciência / Tecnologia/
  • Áreas disciplinares (materiais de apoio).
PARA REFLETIR

"O FATOR HUMANO"

PARA ACEDER À APRESENTAÇÃO

Disclaimer
  • Este documento está organizado para servir de suporte a uma apresentação, pelo que a informação nele contida poderá estar incompleta.
  • Este documento resume a opinião da autora.
Created By
Ana Ferreira
Appreciate

Credits:

Criado com imagens de jplenio - "light lightbulb idea" • PIRO4D - "earth planet continents" • Bru-nO - "light bulbs illuminated lighting" • RemazteredStudio - "electrician electronics computer" • athree23 - "board chalk gears" • Pexels - "star trails night stars" • AJS1 - "bulb light idea" • SplitShire - "balls marbles round" • sakulich - "light lamp warm" • fancycrave1 - "creativity idea inspiration" • Bru-nO - "light bulbs illuminated lighting" • a_roesler - "red warning alert"