SEU JOÃO BALBINO fORTE, humilde, sábio e histórico

João Balbino Santos, presidente e professor na Associação Educacional de Esporte e Judô Comunitário – Colônia Treze, Lagarto (75 km da capital), nasceu em 11 de julho de 1938, no povoado Salobra – Simão Dias. De infância simples, seu João sempre foi de família pobre e vivia da agricultura. Iniciou os seus estudos aos 7 anos, parou na quinta série, e trabalhava com seu pai nas horas vagas, tinha 21 irmãos, dos quais só 8 ficaram vivos por causa das doenças da época.

Trabalhou a primeira vez aos 14 anos, foi pra Salvador trabalhar numa horta e mandava dinheiro para os seus pais que viviam uma situação precária na época.

Em 1959 casou-se com Andrelina Rodrigues dos Santos com quem teve 8 filhos e quinze netos, separou em 6 de dezembro de 1983 e casou-se novamente com Maria José de Souza, com a qual teve sete filhos e cinco netos. Logo após mudou–se para a Colônia Treze, onde só haviam 10 famílias, conseguiu sua casa através de outro projeto, o “100 famílias” e assim se tornou um dos pioneiros do povoado Colônia Treze.

No ano de 1960 seu João fez seu primeiro trabalho cultural, que foi o “Natal da Colônia Treze”, é uma festa onde tem bandas musicais, campeonato e parque de diversão. Depois disso ele criou o “Forró dos idosos”, ambos ainda existem.

Colônia Treze naquela época era muito rica em agricultura, com isso João fez uma horta junto com algumas pessoas da comunidade, a mesma sustentou as famílias por muito tempo, a partir dai, ele e seu amigo Jairo Fontes, tiveram a ideia de criar uma feira orgânica, a primeira feira. Além disso, por ser um povoado novo, de início não tinha missas religiosas, seu João também foi quem trouxe a primeira missa para a pequena população, junto com alguns padres que se encontravam no povoado naquele tempo.

O primeiro desfile cívico da Colônia Treze foi organizado por João, desfilaram 7 meninos na época. Com seu interesse e da professora Judite foi feito o primeiro desfile que também acontece até hoje.

João também esteve à frente da Cooperativa da Colônia Treze, que foi fundada em 1962. Na época, obteve muita renda com tudo que ele já havia feito dentro do povoado, tudo a base da agricultura. Segundo ele, a cooperativa acabou por falta de administração.

Apesar de todos os seus feitos pelo povoado, João é mais conhecido pela prática do Judô, pelo qual estudou e virou faixa preta, fundou uma associação junto com a prefeitura de Lagarto, a Associação Educacional de Esporte e Judô Comunitário, onde trabalha até hoje.

Diante de todas as histórias, de todas as suas obras, seu João começou a escrever essas histórias a mão, mesmo tendo pouco estudo. Conta sobre a história do povoado, da Cooperativa, do Judô, da sua vida, dos seus saberes e de todos os seus feitos para a Colônia Treze. Juntando todas as histórias renderam 6 livros, 4 deles de sua própria autoria e outros 2 com a ajuda de estudantes que também se interessaram por sua história. Inclusive, ele já está escrevendo outro livro sobre um problema de saúde que teve, no qual ficou entre a vida e a morte.

Além disso, seu João também é espirita e entende de astrologia, um dos seus livros é “Astrologia e Ciências Religiosas”, no qual discute tudo sobre o assunto e centra especialmente nos signos, toda trajetória dos mesmos, indicações de linha de vida e muito mais.

Seu João ainda deseja fazer um museu “Eu ainda tenho a vontade de fazer um museu, tem muita historia, muita coisa guardada e eu quero colocar tudo ai para o povo chegar e conhecer todas as histórias.” fala com entusiasmo.

- Seu João Balbino, forte, humilde, sábio e histórico.

Credits:

Maria Gabriela Pereira

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.