Veado-Campeiro Ozotoceros bezoarticus

Veado-campeiro (Ozotoceros bezoarticus) macho se deslocando pelos campos rupestres do Parque Nacional da Serra da Canastra, Brasil

Fezes e pegadas de veados-campeiros nos campos do Parque Nacional da Serra da Canastra, Brasil. (clique na imagem para ampliar)

O veado-campeiro pode se aproximar docilmente, mas antes ele conduz uma minuciosa investigação para atestar que os seres humanos não são uma ameaça.

Pesquisadores que permanecem parados por longos períodos, coletando dados sobre pássaros dos campos do Parque Nacional da Serra da Canastra, podem ser um atrativo que gera um misto de curiosidade e vontade de formar "bandos" que favorecem a segurança dos veados-campeiros contra predadores.

Os veados-campeiros (Ozotoceros bezoarticus) formam agrupamentos temporários com espécies inofensivas que também sabem formar bandos, como as emas (Rhea americana). A altura desta ave lhe proporciona visão privilegiada dos campos, o que reduz o risco de aproximação de predadores sem que estes sejam descobertos precocemente, favorecendo os veados-campeiros.

Veado-campeiro em frente a um cupinzeiro gigante com quase 2,3 m de altura em um campo limpo atingido por uma queimada natural no Parque Nacional da Serra da Canastra.

As queimadas naturais são provocadas pelos raios das primeiras tempestades que anunciam a chegada do período chuvoso no Cerrado brasileiro. O fogo molda a paisagem e altera a composição da fauna e da flora nos meses seguintes à sua passagem. Por isso, é considerado um fator ecológico natural de grande relevância para os ecossistemas campestres onde vivem o veado-campeiro.

Os cupins que habitam os ecossistemas campestres são importantes herbívoros que moldam a paisagem em vários aspectos. O aspecto mais visível e impressionante são as suas "residências", os cupinzeiros. Podem apresentar tamanho avantajado, de grande destaque na paisagem. São totalmente resistentes a queimadas e servem de abrigo para outros animais da fauna dos campos do Parque Nacional da Serra da Canastra.

VEADO-CAMPEIRO, CUPINS E O FOGO: existe alguma relação entre eles?

Este herbívoro tem preferência pela brotação em massa de plantas, que ocorre logo após queimadas, e também por flores tenras, ambas situações influenciadas pela passagem do fogo.

Uma semana após queimada natural, o veado-campeiro se alimenta principalmente de brotos macios e porções suculenta parcialmente queimadas de plantas herbáceas nativas dos campos limpos.
Dois meses após queimada, este veado-campeiro se alimenta de brotos, folhas novas e flores em uma pequena faixa mais verde e vigorosa de vegetação nova, rodeada por uma vegetação seca mais antiga em área não atingida pelo fogo.
Depois de um ano e dois meses sem queimar, esta área coberta por campo limpo oferece menor quantidade de itens alimentares ao veado-campeiro, fazendo com que tenham que caminhar muito mais em busca de seus alimentos preferenciais em meio a uma vegetação agora mais densa e alta.

Obrigado pela visita!

More about the researchers:

NEOTROPICAL WAY

Imagens: 2012-2017, © Reis & Fieker

Created By
Matheus Reis
Appreciate

Credits:

©Reis&Fieker

Made with Adobe Slate

Make your words and images move.

Get Slate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.