Loading

Calendário 2021 Pimenta-do-reino BOAS PRÁTICAS PARA O CULTIVO

A Embrapa e a Tropoc prepararam para você um calendário com práticas agrícolas recomendadas para os 12 meses do ano. Aproveite!

Aqui você vai encontrar algumas dicas e cuidados que garantem ao seu pimental plantas fortes e sadias por muito mais tempo, frutos de melhor qualidade, produção sustentável, produto livre de contaminação e com maior valor de mercado. Qualquer dúvida, fale com a gente!

A pimenteira-do-reino é uma cultura típica da agricultura familiar. Está presente em grande parte dos municípios paraenses, sendo os de maior destaque Tomé-Açu, Capitão Poço, Baião, Acará, Igarapé-Açu, Aurora do Pará, Concórdia do Pará, Cametá, Garrafão do Norte e Nova Esperança do Piriá (IBGE/PAM, 2018).

O estado do Espírito Santo, atualmente, é o maior produtor de pimenta-do-reino do Brasil, seguido pelo Pará e Bahia. Veja o gráfico.

Fonte: (IBGE/PAM, 2018)

O QUE FAZER EM JANEIRO

• Plantar as mudas de pimenteira-do-reino na terceira semana, se o solo estiver úmido e no período chuvoso

• Cobrir as mudas com palha

• Em plantas a partir do segundo ano, fazer a adubação orgânica e a primeira parcela da química (NPK)

• Monitorar o ataque de pragas e doenças e o controle de ervas daninhas

• Monitorar a floração e evitar que falte água durante esse período

• Fazer adubação foliar, se necessário

***

#Fica a dica

A Embrapa recomenda sete cultivares de pimenteira-do-reino para o estado do Pará. São elas: Bragantina, Cingapura, Guajarina, BRS ApraBRS Iaçará, BRS Kottanadan e BRS Kuthiravally. A escolha das cultivares depende de cada produtor, mas é importante ter um plantio diversificado e livre de doenças, ou seja, plante variedades diferentes, utilizando mudas sadias. Caso prefira comprá-las, escolha viveiristas credenciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA. O Viveiro ProMudas (91) 99230-0624, localizado em Castanhal - PA, é um deles.

De janeiro a abril, estação mais chuvosa do ano, monitore a ocorrência de podridão das raízes e da murcha amarela. ATENÇÃO: plantas com sintomas devem ser arrancadas e queimadas fora do pimental. Evite o replantio nas covas de plantas doentes por dois a três anos.

O QUE FAZER EM FEVEREIRO

• Manter o solo ao redor da planta livre de mato (ervas daninhas)

• Conduzir a planta ao tutor com amarrio

• Fazer a primeira adubação de crescimento (NPK), de acordo com a recomendação da análise de solo

• Fazer a primeira poda do tutor de gliricídia, retirando os ramos (brotos) da metade do tutor para baixo

***

#Fica a dica

Mantenha sempre o solo drenado para evitar encharcamento e, se sentir necessidade, faça a adubação foliar. Até abril, monitore a ocorrência de podridão das raízes e da murcha amarela.

O QUE FAZER EM MARÇO

• Manter o solo ao redor da planta livre de mato (ervas daninhas)

• Fazer a condução da planta no tutor com amarrio

• Fazer roçagem (evitar capina com enxada)

• Fazer a segunda adubação (NPK), de acordo com a recomendação da análise do solo

• Monitorar o ataque de pragas e doenças

• Fazer a poda da gliricídia e deixar toda a biomassa ao redor da planta (folhas e galhos)

***

#Fica a dica

Mantenha sempre o solo drenado para evitar encharcamento. Até abril, monitore a ocorrência de podridão das raízes e da murcha amarela. Nos casos de registros de pragas ou doenças no pimental, consulte a cartilha abaixo. Caso desconheça o agente causal, procure um órgão competente para lhe auxiliar na identificação.

Conheça a cartilha "Boas práticas agrícolas para aumento da produtividade e qualidade da pimenta-do-reino no estado do Pará".

O QUE FAZER EM ABRIL

• Manter o solo ao redor da planta livre de mato (ervas daninhas), capinando com a mão (monda) sem danificar as raízes

• Fazer a condução da planta no tutor com amarrio

• Monitorar o ataque de pragas e doenças

• Fazer cobertura morta no coroamento da planta

***

#Fica a dica

Mantenha sempre o solo drenado para evitar encharcamento. Monitore a ocorrência de podridão das raízes e da murcha amarela. ATENÇÃO: plantas com sintomas devem ser arrancadas e queimadas fora do pimental. Evite o replantio nas covas de plantas doentes por dois a três anos.

O QUE FAZER EM MAIO

• Manter o solo ao redor da planta livre de mato (ervas daninhas), capinando com a mão (monda) sem danificar as raízes

• Fazer a condução da planta no tutor com amarrio

• Monitorar o ataque de pragas e doenças

• Fazer a terceira adubação (NPK), de acordo com a recomendação da análise de solo

• Fazer a poda da gliricídia mantendo de 3 a 4 ramos de forma equilibrada

• Manter a cobertura morta ao redor da planta

• Manter a umidade da planta durante a floração e frutificação

***

#Fica a dica

Mantenha o solo sempre drenado para evitar encharcamento. Ao escolher a área para o próximo plantio, prefira um terreno plano ou com declividade de até 5%, sendo o solo de textura areno-argilosa. Evite áreas encharcadas.

O QUE FAZER EM JUNHO

• Manter o solo ao redor da planta livre de mato (monda), controlando as ervas daninhas sem danificar as raízes

• Fazer a condução da planta no tutor com amarrio

• Monitorar o ataque de pragas e doenças

• Fazer a roçagem das entrelinhas

• Evitar o uso de herbicida

• Manter a umidade do solo. Se possível, usar irrigação

• Observar o período de maturação dos grãos

• Preparar o terreiro para a secagem da pimenta, mantendo-o cercado para evitar a entrada de animais

• Limpar e preparar o debulhador

• Preparar escadas, bisacos e sacos para a colheita

***

#Fica a dica

O consumo mundial de pimenta-do-reino varia de 580 a 590 mil toneladas por ano. Enquanto o preço oscila de 2 mil a 9 mil dólares a tonelada.

O QUE FAZER EM JULHO

• Fazer a colheita das cultivares precoces (espiga com um terço dos frutos de coloração amarelo-avermelhada)

• Manter a cobertura ao redor da planta

• Adotar os cuidados de higiene durante a colheita

• Lavar os equipamentos e utensílios com água, sabão e água sanitária

• Fazer a debulha e evitar a mistura com terra ou qualquer outra sujeira

• Lavar os encerados (lonas) com água, sabão e água sanitária e enxugá-los antes de colocar os grãos

• Secar os grãos em área protegida de animais, com os instrumentos higienizados e o trabalhador com roupas e botas limpas

• Ventilar o produto antes de ensacar e armazenar

• Ensacar os grãos com, no máximo, 13% de umidade em sacos novos, livres de qualquer contaminação

• Armazenar em local arejado, sobre estrado e livre de animais ou pragas, cobertos com lona plástica

• Controlar ervas daninhas e conduzir a planta no tutor com amarrio

• Monitorar o ataque de pragas e doenças

***

#Fica a dica

Sempre que necessário, faça a adubação foliar.

O QUE FAZER EM AGOSTO

• Fazer a colheita das cultivares precoces (espiga com um terço dos frutos de coloração amarelo-avermelhada)

• Manter a cobertura ao redor da planta

• Adotar os cuidados de higiene durante a colheita

• Lavar os equipamentos e utensílios com água, sabão e água sanitária

• Fazer a debulha e evitar a mistura com terra ou qualquer outra sujeira

• Lavar os encerados com água, sabão e água sanitária. Enxugá-los antes de colocar os grãos para secar

• Secar os grãos em área protegida de animais, com os instrumentos higienizados e o trabalhador com botas e roupas limpas

• Ventilar o produto antes de ensacar e armazenar

• Ensacar os grãos com, no máximo, 13% de umidade em sacos novos, livres de qualquer contaminação

• Armazenar em local arejado, sobre estrado e livre de animais ou pragas, coberto com lona plástica

• Fazer uma aplicação de fungicida à base de cobre nas plantas com todos os frutos colhidos (calda bordalesa)

• Controlar as ervas daninhas e conduzir a planta ao tutor com amarrio

• Monitorar o ataque de pragas e doenças

***

#Fica a dica

Não use produtos sem registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA e, sempre que necessário, faça a adubação foliar.

O QUE FAZER EM SETEMBRO

• Colher as cultivares de maturação mediana (espiga com um terço dos frutos de coloração amarelo-avermelhada)

• Manter a cobertura ao redor da planta

• Adotar os cuidados de higiene durante a colheita

• Lavar os equipamentos e utensílios com água, sabão e água sanitária

• Fazer a debulha e evitar a mistura com terra ou qualquer outra sujeira

• Lavar os encerados com água, sabão e água sanitária. Enxugá-los antes de colocar os grãos para secar

• Secar os grãos em área protegida de animais, com os instrumentos higienizados e o trabalhador com botas e roupas limpas

• Ventilar o produto antes de ensacar e armazenar

• Ensacar os grãos com, no máximo, 13% de umidade em sacos novos, livres de qualquer contaminação

• Armazenar em local arejado, sobre estrado e livre de animais ou pragas, coberto com lona plástica

• Fazer uma aplicação de fungicida à base de cobre nas plantas com todos os frutos colhidos (calda bordalesa)

• Se possível, manter a umidade do solo com irrigação

• Preparar o viveiro e o terriço, e encher as sacolas (15 x 25 cm) para a produção de mudas

***

#Fica a dica

No dia 1º de setembro comemora-se o "Dia estadual da pimenta-do-reino", conforme Lei nº 4184 de julho de 1968. Lembre-se: monitore o ataque de praga e doenças e, sempre que necessário, faça o amarrio das plantas no tutor.

O QUE FAZER EM OUTUBRO

• Coletar solo para análise física e de fertilidade

• Preparar o enraizador com areia branca, sombreamento de 50% e cobertura com plástico

• Escolher a cultivar, cortar e preparar as estacas de pimenteira-do-reino

• Transferir as estacas para o enraizador de areia, mantendo a umidade

• Transferir as estacas enraizadas com os brotos para as sacolas com terriço e irrigá-las de manhã e à tarde

• Colher as cultivares de maturação mediana (espiga com um terço dos frutos de coloração amarelo-avermelhada)

• Adotar os cuidados de higiene durante a colheita

• Manter a cobertura ao redor da planta

• Fazer uma aplicação de fungicida à base de cobre nas plantas que estiverem totalmente sem frutos (calda bordalesa)

• Lavar os equipamentos e utensílios com água, sabão e água sanitária

• Se possível, manter a umidade do solo com irrigação

• Fazer a debulha e evitar a mistura com terra ou qualquer outra sujeira

• Lavar os encerados com água, sabão e água sanitária. Enxugá-los antes de colocar os grãos para secar

• Secar os grãos em área protegida de animais, com os instrumentos higienizados e o trabalhador com botas e roupas limpas

• Ventilar o produto antes de ensacar e armazenar

• Ensacar os grãos com, no máximo, 13 % de umidade em sacos novos, livres de qualquer contaminação

• Armazenar em local arejado, sobre estrado e livre de animais ou pragas, coberto com lona plástica

***

#Fica a dica

Ao escolher a cultivar, selecione plantas de ciclo de maturação dos frutos precoce, mediano e tardio. Na produção de mudas, corte as estacas de plantas vigorosas, livres de doenças. Faça o controle de pragas e doenças com produtos naturais ou recomendados pelo MAPA. Adquira o calcário dolomítico e faça a condução da planta no tutor com amarrio, sempre que necessário. ATENÇÃO: a coleta de solo deve ser feita com muito cuidado, evitando a contaminação com restos de fertilizantes químicos da adubação anterior para não influenciar nos resultados da análise.

O QUE FAZER EM NOVEMBRO

• Preparar a área (calagem)

• Fazer a aquisição de tutor vivo (gliricídia)

• Produzir as mudas de pimenteira-do-reino, transferindo as estacas enraizadas em viveiro para os sacos

• Adotar os tratos culturais nas mudas durante a fase de crescimento (irrigação, poda e controle de pragas e doenças)

• Fazer uma pulverização com fungicida à base de cobre nas plantas sem frutos (calda bordalesa)

• Fazer a poda da pimenteira-do-reino do topo da estaca

• Retirar as inflorescências (cachos) de plantas dos pimentais antes do primeiro ano

***

#Fica a dica

Lembre-se: após o final da safra é necessário fazer a manutenção e higienização do debulhador, escadas de colheita, bisacos e lonas de secagem antes do armazenamento. Faça também a aquisição de adubo químico e orgânico e a condução da planta ao tutor com amarrio. Monitore o ataque de praga e doenças e, se possível, faça a irrigação. Para adquirir mudas de pimenteira-do-reino, procure viveiristas credenciados pelo MAPA.

O QUE FAZER EM DEZEMBRO

• Fazer o plantio de estacas de gliricídia em cova de 50 a 60 cm de profundidade, se iniciado o período chuvoso

• Fazer a abertura das covas 40 x 40 x 40 cm

• Fazer a adubação da cova: orgânica e química

• Fazer a manutenção das mudas com tratos culturais

• Em plantios a partir do primeiro ano, fazer a poda da gliricídia e deixar a biomassa (folhas e ramos) no solo ao redor da planta (cobertura)

• Retirar as inflorescências (cachos) de plantas dos pimentais antes do primeiro ano

• Marcar a área (piqueteamento) para o novo plantio

• Preparar as leiras de plantio

• Fazer a adubação química e orgânica para floração, se o solo estiver úmido

***

#Fica a dica

Para garantir vida longa ao seu pimental, lembre-se: monitore o ataque de pragas e doenças, faça a condução da planta no tutor com amarrio e adote a adubação foliar, sempre que necessário.

Quer saber o que dizem os especialistas sobre o cultivo sustentável da pimenteira-do-reino? Assista ao vídeo a seguir.

***

Este calendário é uma publicação da Embrapa Amazônia Oriental em parceria com a empresa Tropoc.

***

Para falar com a Embrapa acesse o Serviço de Atendimento ao Cidadão.

Responsáveis técnicos por essa publicação: Aldecy Moraes, Alessandra Boari, Alessandra Keiko, Ana Laura Lima, Dalva Motta, Enilson Albuquerque, Giselle Aragão, Ilmarina Menezes, João Paulo Both, Laura Abreu, Marli Poltronieri, Nádia Paracampos, Oriel Lemos, Ricardo Dohara, Ronaldo Rosa, Rúbia Dantas, Ruth Benchimol, Simone Rodrigues, Sônia Botelho e Walkymário Lemos.

Credits:

Fotos: Ronaldo Rosa / Projeto gráfico: Giselle Aragão