Loading

Grupo Sócio-Caritativo "Encontra a Esperança" "Amarás ao teu próximo como a ti mesmo" (gal 5, 14)

O aumento populacional da Quinta do Conde trouxe alguns problemas sociais como a exclusão e a pobreza. Tornou-se urgente para a Igreja da Quinta do Conde prestar assistência aos mais desfavorecidos.

Nazaré e Joaquim Neves destacaram-se neste trabalho caritativo. Oriundos de Lisboa, o casal Neves pertence à Conferência de S. Vicente de Paulo, que tem como objetivo principal praticar a caridade. Viveram durante duas décadas em Moçambique, regressaram a Portugal no inicio dos anos 70 e passaram pela Aldeia de Paio Pires, antes de se estabelecerem na Quinta do Conde. Aqui procuraram colaborar na Igreja, na ajuda aos necessitados, em colaboração com os párocos.

A comunidade vicentina incentivou o casal Neves a iniciar o serviço de distribuição de comida e roupa aos pobres. No final dos anos 80, o Padre Horácio cedeu o espaço atualmente ocupado pelo bar, na Igreja de Nossa Senhora da Boa Água. Nesse tempo chegaram a ser feito jantares para os pobres, inclusivamente a consoada. No ano de 2000 o grupo sócio-caritativo foi transferido para a Igreja de Nossa Senhora da Esperança e pouco tempo depois foi adquirida a carrinha para facilitar o trabalho do grupo. A falta de voluntários e o cansaço sentido pelo casal levou o Padre Miguel d'Aguiar a aconselhar a interrupção temporária do serviço.

Grupo de voluntários em 2009

O grupo foi reativado em 2009 por iniciativa do Padre Júlio do Vale que, chegando à Paróquia em Setembro de 2008, encontrou o serviço socio-caritativo encerrado. Numa época de grande crise económica, tornava-se urgente a assistência material e espiritual às familias carenciadas. Lançado o desafio à comunidade, o Padre Júlio e vários voluntários procuraram não só regenerar este serviço tão precioso, mas também criar a Pastoral da Saúde para acompanhar os mais idosos e doentes.

Tornou-se necessária a realização de uma formação para os futuros voluntários no sentido de prestarem um melhor serviço, na maioria das vezes em contextos sociais delicados e complexos. Esta formação teve inicio a 25 de fevereiro de 2009 e contemplava diferentes temáticas: legislação, voluntariado, assistência social e pastoral da saúde. Foram 26 os elementos que concluiram a formação e iniciaram o projeto: 15 voluntários para o Sócio-Caritativo e 11 para a Pastoral da Saúde.

Os pedidos de ajuda eram de tal modo gritantes que o grupo iniciou a sua atividade ainda antes de concluir a formação. A 4 de maio de 2009 começaram as inscrições das famílias carenciadas. Numa publicação do blogue do “Encontra-a-Esperança” desse mesmo dia pode ler-se: “No primeiro dia foram várias pessoas que se deslocaram até nós a pedir informações. Estamos espectantes, é um facto, mas com o empenho de todos o grupo chegará a bom porto.”

O dia 24 de Maio de 2009 é considerado o dia de fundação do grupo socio-caritativo. Os 26 elementos que concluiram a formação de voluntariado receberam diplomas de formação e leram um compromisso de fidelidade perante todo a comunidade paroquial.

O grupo foi baptizado como “Encontra a Esperança” visto que o objetivo do grupo é «ajudar as famílias num tempo díficil das suas vidas, contribuir para o encontro do caminho certo e ter uma segunda oportunidade nesta vida tão díficil» (blogue do grupo).

Momentos do Encontra a Esperança

O grupo começou por realizar campanhas mensais de recolha de alimentos na paróquia: para o efeito, foram colocados baús à entrada das igrejas. A 1 de Junho iniciou-se a recolha de alimentos nos estabelecimentos comerciais da Quinta do Conde (pastelarias, cafés, restaurantes, lojas de take-away). Desde então, todas as noites, às 22h30, é feita distribuição de refeições quentes na Igreja de Nossa Senhora da Boa Água. Na Igreja de Nossa Senhora da Esperança, é feita a distribuição dos cabazes de alimentos.

O grupo socio-caritativo começou a prestar assistência a 108 famílias: “318 pessoas, entre elas 94 crianças, 39 adolescentes, 158 adultos e 27 idosos” (blogue do “Encontra a Esperança”). Nos primeiros três meses foram distribuidas mais de 7 mil refeições. Para o sucesso do projeto valeu o apoio do Banco Alimentar contra a Fome de Setúbal, a Cáritas Diocesana, os estabelecimentos locais e a autarquia. Atualmente o grupo socio-caritativo ajuda 121 famílias, ou seja, 363 pessoas (dados de Setembro de 2015).

A Pastoral da Saúde também iniciou a sua atividade com visitas domiciliárias aos doentes. A edição de Junho de 2009 do jornal “Porta de Esperança” refere que «São muitos os idosos e doentes que se encontram sozinhos, e necessitam de ajuda. Essa ajuda pode ser companhia, limpeza da casa, conforto, carinho, entre outros serviços.»

«Para finalizarmos, só queremos o bem-estar dos “nossos” utentes, dar-lhes asas para voarem sozinhos: sim, nós não pretendemos que eles continuem a receber cabazes e refeições para o resto das suas vidas! Queremos que voem mais alto, terem uma vida digna e que num futuro próximo possamos dizer: Louvado sejas Deus! Valeu a pena toda a nossa dedicação e empenho diário. (Carlos Costa)»

Doces e compotas do Encontra a Esperança

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.