Quinto Domingo da Quaresma, Ano A — São Paulo, 02 de abril de 2017

Prelúdio

Hino “Doxologia” [TD, 66]

A Deus, supremo Benfeitor,

Celestes hostes entoai;

Vós homens dai também louvor

E o Deus triúno celebrai.

Aclamação [Todos]

Bendito sejas, Senhor!

Nós bendizemos o teu nome;

Louvamos-te por tua imensa bondade e misericórdia;

Agradecemos-te por tua graciosa presença.

Que estes momentos, dedicados a ti,

Sejam bênção também em nossas vidas.

Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Cântico “Celebrai com Júbilo” [TD, 112]

Celebrai com júbilo ao Senhor

Todos os moradores da terra.

Servi ao Senhor com alegria,

Apresentai-vos a Ele com cântico.

Sabei que o Senhor é bom

E eterna, a Sua bondade,

E a Sua fidelidade

De geração em geração.

Aleluia, glória, aleluia

Aleluia, glória, aleluia

Aleluia, glória, aleluia

Aleluia, glória, aleluia.

Oração [Voluntária]

Leitura do Salmo 113

1 Aleluia!

Louvai, servos do Senhor,

louvai o nome do Senhor.

2 Bendito seja o nome do Senhor,

agora e para sempre.

3 Do nascimento do sol até ao ocaso,

louvado seja o nome do Senhor.

4 Excelso é o Senhor, acima de todas as nações,

e a sua glória, acima dos céus.

5 Quem há semelhante ao Senhor, nosso Deus,

cujo trono está nas alturas,

6 que se inclina para ver

o que se passa no céu e sobre a terra?

7 Ele ergue do pó o desvalido

e do monturo, o necessitado,

8 para o assentar ao lado dos príncipes,

sim, com os príncipes do seu povo.

9 Faz que a mulher estéril viva em família

e seja alegre mãe de filhos.

Aleluia!

Hino “Tu és Fiel, Senhor” [TD, 111]

Tu és fiel, Senhor, meu Pai celeste,

Pleno poder a teus filhos darás;

Nunca mudaste, Tu nunca faltaste,

Tal como eras Tu sempre serás.

Tu és fiel, Senhor! Tu és fiel, Senhor!

Dia após dia, com bênçãos sem fim,

Teu grande amor me sustenta e me guarda;

Tu és fiel, Senhor, fiel a mim.

Flores e frutos, montanhas e mares,

Sol, lua, estrelas no céu a brilhar;

Tudo criaste na terra e nos ares,

Todo o universo vem pois te louvar!

Pleno perdão Tu dás! paz, segurança;

Cada momento me guias, Senhor,

E no porvir, ó que doce esperança,

Eu gozarei do teu rico favor.

Saudação [Dirigente]

Oração de Adoração [Dirigente]

Leitura do Salmo 130

1 Das profundezas clamo a ti, Senhor.

2 Escuta, Senhor, a minha voz;

estejam alertas os teus ouvidos às minhas súplicas.

3 Se observares, Senhor, iniquidades,

quem, Senhor, subsistirá?

4 Contigo, porém, está o perdão,

para que te temam.

5 Aguardo o Senhor, a minha alma o aguarda;

eu espero na sua palavra.

6 A minha alma anseia pelo Senhor

mais do que os guardas pelo romper da manhã.

Mais do que os guardas pelo romper da manhã,

7 espere Israel no Senhor,

pois no Senhor há misericórdia;

nele, copiosa redenção.

8 É ele quem redime a Israel

de todas as suas iniquidades.

Hino “Vontade Soberana” [TD, 202]

Tua vontade

Faze, ó Senhor!

Eu sou feitura,

Tu és o Autor.

Molda e refaze

Todo o meu ser,

Segundo as normas

Do teu querer.

Tua vontade

Faze, ó meu Deus!

Sonda e corrige

Os passos meus

Torna-me santo

Como tu és,

Ouve os meus rogos;

Eis-me a teus pés!

Tua vontade,

Faze, ó meu Pai!

Por ela o crente

Vive e não cai.

Guia-me a vida

Com tua luz;

Poder e graça

Dá-me em Jesus.

Tua vontade,

Boa e sem par,

Quero na vida

Realizar

Vive, triunfa,

Domina, enfim

Reina supremo,

Meu Deus, em mim!

Momentos de Oração Silenciosa

Cântico “A Começar em Mim” [TD, 323]

A começar em mim, quebra corações,

Pra que sejamos todos um, como Tu és em nós.

Onde há frieza, que haja amor. Onde há ódio, perdão.

Para que teu corpo cresça, sim, rumo à perfeição.

Oração de Gratidão pelo Perdão [Voluntária]

Cântico “Logo de Manhã” [TD, 223]

Logo de manhã, quero te buscar,

tua voz ouvir, teu amor sentir

e estender as mãos para te louvar

derramar meu coração sobre teu altar.

Pois tu sabes bem tudo quanto há em mim;

que vou te seguir e te amar até o fim.

E no fim do dia, quando o sol se for,

te adorarei, te darei louvor;

mesmo escura a noite, brilha a tua luz

e em teus braços eu descanso, meu Senhor Jesus.

Oração de Louvor

Culto Infantil

Leitura de João 11,1–46

1 Estava enfermo Lázaro, de Betânia, da aldeia de Maria e de sua irmã Marta. 2 Esta Maria, cujo irmão Lázaro estava enfermo, era a mesma que ungiu com bálsamo o Senhor e lhe enxugou os pés com os seus cabelos. 3 Mandaram, pois, as irmãs de Lázaro dizer a Jesus: Senhor, está enfermo aquele a quem amas. 4 Ao receber a notícia, disse Jesus: Esta enfermidade não é para morte, e sim para a glória de Deus, a fim de que o Filho de Deus seja por ela glorificado. 5 Ora, amava Jesus a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro. 6 Quando, pois, soube que Lázaro estava doente, ainda se demorou dois dias no lugar onde estava. 7 Depois, disse aos seus discípulos: Vamos outra vez para a Judeia. 8 Disseram-lhe os discípulos: Mestre, ainda agora os judeus procuravam apedrejar-te, e voltas para lá? 9 Respondeu Jesus: Não são doze as horas do dia? Se alguém andar de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo; 10 mas, se andar de noite, tropeça, porque nele não há luz. 11 Isto dizia e depois lhes acrescentou: Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo. 12 Disseram-lhe, pois, os discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. 13 Jesus, porém, falara com respeito à morte de Lázaro; mas eles supunham que tivesse falado do repouso do sono. 14 Então, Jesus lhes disse claramente: Lázaro morreu; 15 e por vossa causa me alegro de que lá não estivesse, para que possais crer; mas vamos ter com ele. 16 Então, Tomé, chamado Dídimo, disse aos condiscípulos: Vamos também nós para morrermos com ele.

17 Chegando Jesus, encontrou Lázaro já sepultado, havia quatro dias. 18 Ora, Betânia estava cerca de quinze estádios perto de Jerusalém. 19 Muitos dentre os judeus tinham vindo ter com Marta e Maria, para as consolar a respeito de seu irmão. 20 Marta, quando soube que vinha Jesus, saiu ao seu encontro; Maria, porém, ficou sentada em casa. 21 Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se estiveras aqui, não teria morrido meu irmão. 22 Mas também sei que, mesmo agora, tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá. 23 Declarou-lhe Jesus: Teu irmão há de ressurgir. 24 Eu sei, replicou Marta, que ele há de ressurgir na ressurreição, no último dia. 25 Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; 26 e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto? 27 Sim, Senhor, respondeu ela, eu tenho crido que tu és o Cristo, o Filho de Deus que devia vir ao mundo.

28 Tendo dito isto, retirou-se e chamou Maria, sua irmã, e lhe disse em particular: O Mestre chegou e te chama. 29 Ela, ouvindo isto, levantou-se depressa e foi ter com ele, 30 pois Jesus ainda não tinha entrado na aldeia, mas permanecia onde Marta se avistara com ele. 31 Os judeus que estavam com Maria em casa e a consolavam, vendo-a levantar-se depressa e sair, seguiram-na, supondo que ela ia ao túmulo para chorar. 32 Quando Maria chegou ao lugar onde estava Jesus, ao vê-lo, lançou-se-lhe aos pés, dizendo: Senhor, se estiveras aqui, meu irmão não teria morrido. 33 Jesus, vendo-a chorar, e bem assim os judeus que a acompanhavam, agitou-se no espírito e comoveu-se. 34 E perguntou: Onde o sepultastes? Eles lhe responderam: Senhor, vem e vê! 35 Jesus chorou. 36 Então, disseram os judeus: Vede quanto o amava. 37 Mas alguns objetaram: Não podia ele, que abriu os olhos ao cego, fazer que este não morresse? 38 Jesus, agitando-se novamente em si mesmo, encaminhou-se para o túmulo; era este uma gruta a cuja entrada tinham posto uma pedra. 39 Então, ordenou Jesus: Tirai a pedra. Disse-lhe Marta, irmã do morto: Senhor, já cheira mal, porque já é de quatro dias. 40 Respondeu-lhe Jesus: Não te disse eu que, se creres, verás a glória de Deus? 41 Tiraram, então, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou porque me ouviste. 42 Aliás, eu sabia que sempre me ouves, mas assim falei por causa da multidão presente, para que creiam que tu me enviaste. 43 E, tendo dito isto, clamou em alta voz: Lázaro, vem para fora! 44 Saiu aquele que estivera morto, tendo os pés e as mãos ligados com ataduras e o rosto envolto num lenço. Então, lhes ordenou Jesus: Desatai-o e deixai-o ir.

45 Muitos, pois, dentre os judeus que tinham vindo visitar Maria, vendo o que fizera Jesus, creram nele. 46 Outros, porém, foram ter com os fariseus e lhes contaram dos feitos que Jesus realizara.

Mensagem — Rev. Marcelo Smargiasse

Oração Final

Bênção Apostólica

Poslúdio
Created By
Marcelo Smargiasse
Appreciate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.