Urbanização diferentes modelos urbanos

1658

Mapas medievais de Londres Newcourt é uma definição exata das cidades de Londres e Westminster e os subúrbios e todos os locais de passagem, estradas, ruas, vielas e aliados comuns.

1792-1799

Plano das cidades de Londres e Westminster, no Concelho de Southwark, e partes adjacentes, mostrando cada casa. O mapa mais detalhado de Londres georgiana disponível.

1806

Plano de Bowles um folhas das cidades de Londres e Westminster, com o Conselho de Southwark; Compreensão de seus arredores e Extensão da Thames do Chelsea para Deptford & c. Exibindo também os novos edifícios, estradas e outras alterações.

• Crescimento populacional em Londres
Londres industrial. Ilustração.

No século XIX, com a Revolução Industrial, os meios de produção se alteraram, e a corrida pelo capital começa na Inglaterra.

Com a busca pelo capital, a inauguração de industrias, a cidade se torna um dos primeiros centros industriais urbanos do mundo. Com a regulamentação causada pela Lei dos Cercamentos o intenso exodo rural transforma a cidade de Londres em um caos urbano, a transformando numa cidade empobrecida.

(Filme Oliver Twist)

Devido a inúmera busca por empregos e a chegada a população rural para Londres, a cidade se torna tumultuada, com um numero muito alto de mendigos e classe trabalhadora (pobres)

População em Londres a partir do século XIX. Azul: dentro da cidade de Londres. Vermelho: de fora da cidade. Verde: Circulo imigrante
• Urbanização em São Paulo

PLANTA GERAL DA CAPITAL DE SÃO PAULO

Organisada sob a direcção do Dr Gomes Cardim

A distribuição da população brasileira, no início do século XX, foi redefinida pelas profundas mudanças verificadas em função da produção cafeeira das últimas décadas do século XIX. Essa redistribuição populacional estava diretamente ligada à concentração das principais atividades econômicas e ao crescimento urbano. Um dos fatores decisivos para o crescimento da população brasileira, principalmente em São Paulo e na região Sul, foi o grande número de imigrantes europeus que entrou no Brasil, desde meados do século XIX e início do século XX.

Italianos imigrando para São Paulo, na busca por oportunidades de emprego, e melhor qualidade de vida. Final do século XIX

A grande entrada de estrangeiros foi determinada principalmente pela expansão cafeeira e pela substituição de mão de obra escrava pela assalariada. Entre 1890 e 1929 entrou no Brasil o maior contingente de imigrantes. Foram cerca de três milhões e quinhentos mil. Mais de um terço desses estrangeiros era composto de italianos (um milhão e trezentos mil), sendo seguidos por portugueses, espanhóis, alemães e outras nacionalidades.

Apesar de o destino destes imigrantes ser as fazendas de café, grande parte deles, insatisfeitos com as condições de trabalho no campo, deslocaram-se para várias cidades, principalmente São Paulo, cujas perspectivas ligadas à indústria prometiam oferecer mais chances de uma vida melhor.

Vista interna da Hospedaria dos Imigrantes em 1905. São Paulo (SP).

O processo de crescimento urbano se estabeleceu sem que houvesse a estrutura necesssária para suportá-lo e a falta de empregos gerou enormes dificuldades para a população, com grande número de pessoas vivendo precariamente, sobrevivendo à superexploração e aos baixos salários nas indústrias, empregos temporários e subempregos, péssimas condições de moradia em virtude do crescimento de cortiços nos bairros operários do Brás, da Mooca e do Bom Retiro, em que pequenos quartos destinavam-se a numerosas famílias, bem como problemas com o transporte, o abastecimento de água, alimentos insuficientes e a falta de saneamento básico que levava à proliferação de doenças e epidemias.

Created By
Almir Filho
Appreciate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.