Planejamento 2017 Softtek Brasil P17

P17 Metas

Ano com ano, cada mercado estabelece as metas com base ao desempenho histórico e comportamento esperado da economía de cada pais, para alinhar com Corporativo.

São acordadas metas sobre o Crescimento, o Devengado, as Vendas e a Rentabilidade incluindo investimentos OPEX; assim como os investimentos CAPEX e o Capital de Trabalho necessário para o ano.

Crescimento

No 2016 o mercado do Brasil teve além da crisis económica e política do pais, o desafio de melhorar significativamente o % de Gross Margen de Venda de nossos Serviços e Produtos, o que impactou em nossa capacidade de fechar novos contratos, logrando apenas o 45% das vendas planejados para o ano, o que repercute no Devengado esperado para 2017.

As Vendas no 2017 deverão crescer +60% com respeito ao 2016, porém esperamos uma contração em nosso Devengado de -12%.

Vendas R$137,6M

Para garantir nosso Devengado em 2017 e sustentar o Devengado de 2018, nossa meta de vendas deve ser no menos igual ao nosso devengado esperado.

Negócios

  • Hunters 50,1% (R$69M)
  • Farmers 49,1% (R$68,6M)

Clusters

  • Manufatura 28,4% (R$38,8%)
  • Serviços 17,2% (R$23,4M)
  • Varejo 29,1% (R$39,7M)
  • O&G+Utilities 26,2% (R$35,8M)

Operações

  • Serviços continuos (AMS, BPO) com 67,2% (R$92,5M)
  • Projetos e T&M (AD, IM, ERP) tem 25,8% (R$35,5M).
  • Produtos (IM Lic, ERP Lic) tem 6,9% (R$9,6M)

Devengado R$136,4M

Operações

Para 2017 mantemos a proporçao de 85% de Serviços (R$115,9M) e de 15% de Produtos (R$20,5M), o que representa um balance de rentabilidade idóneo para nosso negócio.

  • Serviços continuos (AMS, BPO) 50% (R$68,2M)
  • Projetos e T&M (AD, Test, IM e ERP) 35% (R$47,7M).
  • Produtos (IM Lic e ERP Lic) 15% (R20,5$M)

Negócios

  • Farmers é 85%
  • Hunters de 15%

Clusters

  • Manufatura 40,2% (R$54,9M)
  • Serviços 23,3% (R$31,8M)
  • Varejo 22,1% (R$30,2M)
  • O&G+Utilities 14,3% (R$19,6%)

Rentabilidade 4,2%

A rentabilidade operacional do mercado (EBITDA) esperado para 2017 é de 4,2% o que representa uma melhoria sobre o desempenho de 2016.

Custos Operacionais

O margem de prática (Gross Profit) que incluí todos os Custos Diretos é Indiretos deve ser 20,9%. A margem dos projetos (Gross Margem) deve ser de 30,1%, mantendo o Custo Indireto em 9,2 pp.

Custos Comercias

O orçamento da área de negócios é de 8 pp do Devengado, o que nos leva a um margem de contribuição (Contribution Margem) de 12,8%.

Custos Staff

O custo das áreas staff e outros gastos administrativos e de infraestrutura, devem se manter em 8,7 pp do Devengado, com o que chegamos à meta de rentabilidade de 4,2%, que representa R$5,7M.

Rentabilidade do Mercado e das Práticas

O objetivo inicial a perseguir como mercado é obter a rentabilidade em valor R$5,7M de EBITDA, para que isto aconteça devem de combinasse algumas variáveis principais: o Devengado, os Custos Direto, Indireto, Comercial e Staff, o CAPEX e o Capital de Trabalho.

y = f(x1, x2, ... xn)

EBITDA = DEV - Soma dos Custos (CD, CI, CC e CS)

O resultado operacional do mercado (EBITDA) esta em função do Devengado e da soma dos custos Diretos, Indiretos, Comerciais e de Staff, se alguma de estas variáveis sai de controle, o resultado operacional se verá comprometido, por isso a importância da disciplina financeira.

A nível empresa podemos olhar os custos Comerciais e de Staff.

Composição dos Custos Comerciais

  • Equipe de Vendas (Salários, Bonus e Comissões) 4,2%
  • Desenho de Soluções (DS + CMDS) 2,0%
  • Marketing 0,85%
  • Despesas comerciais 0,7%
  • Administração de Vendas (SMO) 0,2%

Composição dos Custos Staff

  • Cotas Corporativa e de Comité 2,5%
  • Administração 2,3%
  • Capital Humano 2,1%
  • Infraestrutura 1,2%
  • Sistemas Corporativos 0,5%

Pelo lado dos Custos Diretos e Indiretos da Operação além de olhar o resultado consolidado a nível da empresa, precisamos olhar seu desempenho a nível das práticas.

Margem por prática (Gross Profit)

O Margem da prática se calcula restando os Custos Diretos dos Projetos e os Custos Indiretos da Prática do Devengado ganho. A média no mercado é 20,9%. Por prática:

  • Aplication Development AD 11,2%
  • Aplication Management Serviçes AMS 21,4%
  • Information Management IM 18,8%
  • Enterprise Relationship Mngt ERP 19,6%
  • Licenças e suporte IM 30,6%
  • Licenças e suporte ERP 25,5%

Composição do Custo Direto

  • Mão de Obra 55,8% (66,1% sob Dev de Serviços)
  • Produto 9,5% (64,0% sob Dev de Produtos)
  • Infraestrutura para projetos 3,3%
  • Outros Custos e Despesas NF 1,2%

Composição do Custo Indireto

  • Suporte a Operações 6,2%
  • Desalocação 1,6%
  • Demissões 1,5%

AD - Custos da Operação

Custos Diretos

  • Mào de Obra 67%
  • Infraestrutura 3,1%
  • Despesas 0,2%
  • Outros custos 2,6%

Custos Indiretos

  • Suporte a Operação 8,7%
  • Desalocacão 1,0%
  • Demissões 5,7%

AMS - Custos da Operação

Custos Diretos

  • Mão de obra 64,3%
  • Infraestrutura 5,4%
  • Despesas 1,0%
  • Outros custos 0,3%

Custos Indiretos

  • Suporte a Opeações 5,6%
  • Desalocação 2,0%
  • Demissáo 0,1%

IM - Custos da operação

Custos Diretos

  • Mão de obra
  • Infraestrutura
  • Despesas
  • Outros custos

Custos indiretos

  • Suporte à operação
  • Desalocação
  • Demissões

Credits:

Google image

Made with Adobe Slate

Make your words and images move.

Get Slate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.