Cárcere do Passado "Nesses silêncios solitários, graves, Que chaveiro do Céu possui as chaves Para abrir-nos as portas do Mistério?!" - Cruz e Sousa.

Entre as rugas das tintas/ Fostes antes pintadas de mistério/ Posta-restante de gritos e silêncios/ Documentando-se a tradução do etéreo./ Contemplação do presente, gesto de delicadeza/ O que se esconde por trás de tanta beleza?/ Apogeu do passado, escombros do agora/Em qual parte do tempo ficou sua glória?/ Muros encobertos do indecifrável enigma/ Ruínas perdidas da infeliz história/ Devaneios insanos de olhares inquietos/ De quem busca o elo entre o passado e o mistério.

Cárcere do Passado - João Paulo Schneider

Made with Adobe Slate

Make your words and images move.

Get Slate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.