"Assobiando à vontade" Trabalho realizado por: André SaLsinha, João Narciso, Laura Galvão & Tiago Santos

Página 154 a 158

Mário Dionísio de Assis Monteiro nasceu no dia 16 de julho de 1916 em Lisboa e faleceu no dia de 17 de novembro de 1993 com 77 anos em Lisboa.

Mário Dionísio

Mário nas sua profissões foi um crítico, escritor, pintor e professor de português (da professora Judite, inclusive 😄)

Personalidade multifacetada, Mário Dionísio teve uma ação cívica e cultural marcante no século XX português, com particular incidência nos domínios literário e artístico

Algumas das obras de Mário Dionísio:

Poemas e Ficção:

-O Dia Cinzento (1944, contos)

-As Solicitações e Emboscadas (1945, poesia)

-O Riso Dissonante (1950, poesia)

-Memória dum Pintor Desconhecido (1965, poesia)

-Poesia Incompleta (1966, onde reuniu toda a obra publicada até então)

-Le Feu qui Dort (1967, poesia)

-Não Há Morte Nem Princípio (1969, romance)

-Terceira Idade (1982, poesia)

-Monólogo a Duas Vozes (1986, contos)

-Autobiografia(1987, memória)

-A Morte É para os Outros (1988, contos)

-Historias e Vagabundagens (2000, poesia)

Obras sobre pintura:

-Vincent Van Gogh (1947)

-Conflito e Unidade da Arte Contemporânea (1958)

-A Paleta e o Mundo (1956, publicada depois em 5 volumes.)

-O Músico (1948)

Não há morte nem princípio.

Categorias da narrativa

Ação

O conto é constituído por três partes:

  • Situação inicial (ll.1-58) - descreve-se o ambiente e as rotinas de uma viagem de elétrico.
  • Peripécias (ll. 59-134) - narra-se um acontecimento de uma certa viagem, em que um indivíduo não agiu de acordo com as convenções sociais.
  • Situação final (ll. 135-149) - conta-se o desfecho da ação e a atitude dos outros passageiros.

Espaço

  • Social - "Já se tinha visto coisa assim?"; "vexadíssima"; "«Uma menina a assobiar, Nini? Uma menina bonita não faz barulho»"

Tempo

  • Cronológico - "Em dada altura"; "Depois"; "De repente".

Personagens

  • Homem - Personagem principal; Redonda ("estendeu os lábios e começou a assobiar"; "Mas ele não viu nada disso ou fingiu que não viu"); Caracterização direta ("usava um chapéu coçado e um sobretudo castanho bastante lustrosos nas bandas").
  • Mãe - Personagem secundária; Redonda ("e pensava: se não pudesse mais e começasse também a assobiar? [...] admirava a sem-cerimónia do homem do chapéu coçado"); Caracterização direta ("senhora nova e bonita").
  • Criança "Nini" - Personagem secundária; Redonda ("começou a bater palmas"); Caracterização direta ("Era uma criança muito pálida, de cabelos louros e encaracolados, vestida de azul").
  • Outros - Personagem secundária oponentes/planas/caracterização direta("a senhora opulenta franziu a testa e remexeu-se no lugar")

Narrador

  • Heterodiegético - "complicava-se"; "voltavam-se"
  • Subjetivo - "Que patetice!"

Interpretação

InterpreTação

  • O texto fala sobre convenções sociais.
  • O comportamento da personagem principal poderá ser entendido exatamente como uma forma de combater as convenções sociais.
  • Este conto pretende chamar a atenção dos leitores para as injustiças sociais e fazê-los lutar contra essas mesmas injustiças.

  • Convenções sociais - Os mais "elegantes" (ricos, refinados) sentavam-se enquanto os restantes (mais pobres) viajavam de pé.
  • No exemplo anterior podemos verificar que estamos numa época mais "conservadora" onde a estratificação social e consequentemente a desigualdade de direitos é bastante evidente.

Moral da história

Devíamos alterar as convenções sociais.

Created By
André Salsinha
Appreciate

Credits:

Trabalho realizado por: André Salsinha, Laura Galvão, João Narciso, Tiago Santos.

Made with Adobe Slate

Make your words and images move.

Get Slate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.