Loading

AGRUPAMENTO aLER+

"Venham ver e Ouvir...Estamos aLer+!"

OBJETIVOS GERAIS DO NOSSO PROJETO

Dar continuidade à cultura de leitura que se promove há alguns anos no nosso Agrupamento.

Mobilizar o contacto com o livro em vários suportes.

Promover a leitura, valorizando a escrita criativa, a expressão plástica, a expressão dramática e a música!

Fomentar a utilização das tecnologias de informação e comunicação na promoção da leitura.

"Agora, conto eu!"

Público-Alvo: Pré-escolar

DINAMIZADORES: alunos de 2.ºciclo

DESCRIÇÃO da Atividade : os mais velhos contaram histórias aos mais novos.

Com a orientação da coordenadora das bibliotecas, dos docentes de português de 2.ºciclo da Escola Conde de Vilalva e o apoio técnico dos encarregados de educação, os alunos foram filmados e contaram histórias à sua maneira.

A biblioteca apresentou a proposta de trabalho aos docentes da disciplina de Português, que, por sua vez, contactaram os seus alunos.

OS ALUNOS DISPONIBILIZARAM-SE PARA CONTAR HISTÓRIAS EM VÍDEO.

OS ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO FILMARAM OS SEUS EDUCANDOS.

Os alunos e as famílias selecionaram as histórias, propostas pelas docentes em articulação com as recomendações da equipa da biblioteca.

As filmagens foram autorizadas pelos encarregados de educação.

Os vídeos foram divulgadas nas redes sociais (facebook, youtube, página da escola) .

As filmagens foram encaminhadas para a coordenadora do pré-escolar do agrupamento, que as divulgou e distribuiu pelas colegas de departamento para serem apresentadas aos alunos do pré-escolar.

LER, LER, LER

Objetivos desta atividade:

Desenvolver a linguagem oral;

Desenvolver o raciocínio lógico;

Envolver as crianças num mundo de fantasias e imaginação;

Melhorar a interação, comunicação das crianças.

Envolver as famílias nos hábitos de promoção de leitura.

Fomentar o uso das TIC na promoção da leitura e no desenvolvimento de aprendizagens, a distância.

Como e quando surgiu esta ideia?

junho de 2020

A reabertura dos jardins de infância aconteceu na mesma data em que se assinala o Dia da Criança

Para além do habitual apelo ao distanciamento, destacou-se o reconhecimento da importância das atividades pedagógicas, cujo normal funcionamento não deveria ser comprometido, e do direito de brincar dos mais novos.

Esta foi a forma que a biblioteca escolar encontrou para dar as boas-vindas aos alunos do pré-escolar, valorizando o aluno, atribuindo-lhe o papel central como animador da leitura, neste caso, o papel principal é assumido pelos alunos de 2.ºciclo.

"Agora, conto eu!" e o Projeto Educativo do nosso Agrupamento

Os eixos estratégicos:

1. Sucesso educativo;

Realização de atividades nas bibliotecas do agrupamento que promovam as literacias da leitura e dos media.

Promoção de uma cultura de respeito, cidadania e inclusão.

2. Criatividade/Inovação;

Desenvolvimento de competências tecnológicas e de práticas pedagógicas inovadoras.

3. Melhoria das práticas educativas e organizacionais.

Promoção do trabalho colaborativo

Valorização da comunicação entre as várias estruturas pedagógicas do agrupamento.

Estimulo à participação dos pais e encarregados de educação na vida escolar.

As histórias fazem parte da infância, tal como o ato de brincar, e permitem à criança fantasiar e lidar com algumas angústias do seu dia-a-dia. Ao ouvir histórias, a criança tem a oportunidade de enriquecer e alimentar a sua imaginação, ampliar o vocabulário, aprender a refletir e aceitar situações variadas, desenvolver o seu pensamento lógico e espírito crítico, através de manifestações de humor e satisfação da sua curiosidade natural. O principal objetivo e intencionalidade da leitura de histórias a crianças, é de que estas desenvolvam interesse pela leitura e escrita, pois tal como refere Traça (1992) “ esta constitui um meio eficaz para as pôr em contacto com a literatura, para proceder a uma iniciação literária que, pelo prazer a que surge associada, pode constituir um caminho seguro para a apreciação literária."

É de realçar, também, o papel da família na leitura de histórias. A família é o primeiro agente socializador da criança. "Cabe aos pais proporcionar o clima adequado para que a criança, desde muito cedo, seja capaz de ir vendo e lendo num clima de silêncio, de valorização e sossego” (Manzano, 1998).

A escola, por sua vez, talvez por ser “um dos locais privilegiados onde o encontro da criança com o livro se pode concretizar de forma cativante, deve ter como objetivo criar leitores ativos” (Bastos,1999,p.286). Assim sendo, é fundamental que, mais uma vez, educadores e famílias trabalhem em parceria, pois a relação escola/família pode ser extraordinariamente rica para pais, educadores e acima de tudo para as crianças. Porém, estes não são os únicos promotores da leitura. Também as bibliotecas sejam elas escolares ou públicas podem e devem desempenhar um papel fulcral neste sentido. As bibliotecas  facultam o livro e acesso aos mesmos e podem promover a leitura de várias formas, de modo a cativar o público mais jovem a frequentar estes espaços.

É fundamental para a formação de qualquer criança ouvir muitas histórias... “Escutá-las é o início da aprendizagem para ser leitor é ter um caminho absolutamente infinito de descobertas e de compreensão do mundo”. É indiscutível e de largo consenso a importância da prática de leitura de histórias, enquanto atividade regular, agradável e que proporciona interações e partilha de ideias, conceções e vivências” (Mata, 2008, p. 78).

“A leitura de histórias é uma atividade muito rica e completa, pois permite a integração de diferentes formas de abordagem à linguagem escrita, em geral, e à leitura, de uma forma específica” (Mata, 2008, p. 78).

Ramos e Silva (2009) mencionam que as crianças iniciam a aprendizagem da leitura muito antes da escolaridade obrigatória. As autoras destacam ainda a importância das crianças contactarem com a literatura para a infância desde cedo de modo a proporcionar-lhes maior sucesso nas suas aprendizagens futuras. com o livro e com a leitura” (Ramos & Silva, 2009, p. 3).

Sendo a leitura de histórias uma atividade bastante apreciada pelas crianças entre os 0 e os 6 anos de idade, cabe ao educador aproveitar este interesse por parte dos mais pequenos e tirar partido destas práticas, tornando-as em momentos lúdicos agradáveis, “fonte de inúmeras reflexões e partilhas e um elemento central na formação de “pequenos leitores envolvidos” que conseguem aproveitá-la para irem muito mais além do que aquilo que está escrito nas páginas que a registam” (Mata, 2008, p. 80).

A leitura de histórias e a exploração de livros têm para além da criação de relações afetivas, outros benefícios no desenvolvimento das crianças, uma vez que promovem a autonomia, aquisição de conhecimentos, desenvolvimento do espírito crítico e a abertura às múltiplas perspetivas, através das quais se pode representar e analisar o real.

A leitura em voz alta vai estimular a imaginação das crianças, facultar-lhes informação e promover a sua reflexão sobre acontecimentos, quer sobre si próprio quer sobre os outros. Ouvir histórias vai abrir novos mundos à criança, mas também vai influenciar na aquisição de múltiplas literacias.

Dias e Neves (2012) referem que é a partir das histórias que a criança tem a oportunidade de enriquecer e alimentar a sua imaginação, ampliar o seu vocabulário, permitir a sua autoidentificação, desenvolver o pensamento lógico, a memória, estimular o espirito crítico, vivenciar momentos de humor, diversão, satisfazer a sua curiosidade e adquirir valores para a sua vida (p. 37).

É no Pré-Escolar que o ato de contar histórias se torna essencial, pois é nesta etapa que as crianças desenvolvem as primeiras capacidades de narração, e desta forma deve proporcionar-se à criança momentos literários ricos e variados para a formação de leitores.

E, agora?
Vamos continuar!

Considerações finais:

Produtos de grande qualidade.

Divulgação do trabalho realizado , nas redes sociais.

Interesse e orgulho das famílias do trabalho realizado com os seus educandos;

Envolvimento da família, na atividade.

Boa articulação entre a biblioteca, os docentes e encarregados de educação.

Atividade inclusiva.

Articulação com os três grandes eixos do Projeto educativo do Agrupamento.

Empenho dos alunos.

A promoção da leitura, com recurso às TIC

Valorização do livro.

Promoção das literacias da leitura e dos media.

Desenvolvimento do ato de partilhar, neste caso a partilha de LEITURAS!

Atribuição do papel central ao aluno, na dinamização da HORA DO CONTO, em formato digital!