Loading

Guardiões de Virunga Parque Nacional de Virunga - RDC

O Parque Nacional de Virunga é um Patrimônio Mundial da UNESCO que fica no leste da República Democrática do Congo.

Esta área é a mais antiga e com maior diversidade biológica da África que é protegida

Cerca de um terço da população mundial de gorilas das montanhas, em perigo de extinção, vive nas exuberantes florestas vulcânicas do Parque Nacional de Virunga.
Os 7,800 quilômetros quadrados do parque são compostos por três setores: norte, centro e sul - cada um com uma diversidade incomparável de paisagens e ecossistemas.
O Parque Nacional de Virunga foi fundado em 1925 como Parc Albert, e rebatizado em 1969 como Parque Nacional de Virunga após a independência do país, da Bélgica.

Situado em uma região que tem afetada sido profundamente pelos efeitos da guerra e do conflito armado por mais de 20 anos, Virunga é protegida por mais de 700 guardas florestais. Esses homens e mulheres da região passam por um treinamento intensivo e arriscam suas vidas diariamente para proteger a vida selvagem do parque. Paralelamente a esse trabalho de conservação, o parque está empenhado em apoiar às comunidades locais.

Virunga tem uma visão de aproveitar de forma responsável os recursos naturais do parque para criar novas oportunidades para a região: criação de mais empregos, redução da pobreza, aumento do uso de energia hidrelétrica, agricultura sustentável e pesca e turismo. Esta abordagem inovadora, de conservação e focada na comunidade, está trabalhando para reduzir a pressão enfrentada atualmente pelos guardas do parque por grupos armados, caça ilegal e invasão de terras.

Em 2008, a Autoridade Congolesa de Parques Nacionais (Institut Congolaise pour la Conservation de la Nature ICCN) e a Fundação Virunga firmaram uma parceria para administrar o parque. A 'Aliança Virunga' é um programa inovador de desenvolvimento para abordar as causas da pobreza e do conflito, com o objetivo de erradicar a extração ilegal e destrutiva de recursos naturais na região.

Nos últimos 20 anos, Virunga tem vivido muitos períodos de conflito, geralmente começando dentro ou em torno do parque. O leste do Congo é um dos lugares mais desfavorecidos economicamente do planeta, e a concorrência pelos recursos naturais do parque tem sido ardente.

Virunga e seus parceiros estão empenhados em integrar os mais altos padrões de gestão de recursos naturais com base na comunidade, solicitando e incorporando contribuições das comunidades que vivem ao redor do parque. As autoridades de Virunga criam e apóiam vários fóruns comunitários que consultam regularmente à população local para determinar as prioridades de conservação e investimento.

Projeto dos Guardiões

Os Guardiões de Virunga estão destemidamente na linha de frente da conservação, para a proteção da vida selvagem do parque, dos recursos naturais e das comunidades vizinhas.
Comumente enfrentam condições físicas adversas, ferimentos ou mesmo a morte. Mais de 175 guardas tem sido mortos no cumprimento do dever. Sem o empenho desses homens e mulheres valentes, Virunga não existiria.
Todos esses guardas passam por processos intensos de seleção e treinamento extenso para trabalhar no parque. Eles são selecionados em cidades e vilarejos congoleses e se qualificam para se tornarem funcionários públicos da Autoridade de Parques Nacionais do Congo.
Ao longo dos últimos anos, a Global Witness tem conduzido uma campanha internacional grande para impedir que as companhias de petróleo perfurem em Virunga e seus arredores. Eles também têm feito campanha para garantir que as atividades da Soco International, uma empresa multinacional do Reino Unido, com operações na República Democrática do Congo, sejam devidamente investigadas pelas autoridades competentes.

Além disso, vários grupos rebeldes que lutam contra o governo congolês e entre si, estão ativos dentro dos limites do parque há muito tempo. De acordo com a ‘Associação de Guardiões da Africa’ (Game Rangers Association of Africa - GRAA), as milícias se dedicam à caça, pesca ilegal e extração de madeira e caça furtiva, especialmente de elefantes, para financiar suas atividades.

O complexo contexto histórico da região que leva a conflitos culturais, distúrbios decorrentes das guerras civis do Congo, juntamente com a caça furtiva, exploração madeireira e projetos extrativos, tem prejudicado a vida selvagem e tornou o parque vulnerável a ataques de grupos de milícias. Os guardas devem proteger esta área contra interesses econômicos e políticos.

Credits:

1. Joseph King; Virunga chimps; November 1, 2014; (CC BY-NC-ND 2.0). 2. Google maps. 3. Virunga National Park official logo. 4. Alex Proimos; T92A2657-2; January 8, 2018; (CC BY-NC 2.0). 5. Joseph King; Nyragongo as seen on clear day from Mikeno Lodge in Virunga National Park #DRC; February 27, 2014; (CC BY-NC-ND 2.0). 6. Johannes Zielcke; On the slopes of Nyiragongo; March 25, 2019; (CC BY-NC-ND 2.0).