Atibaia tem tesouro histórico escondido Por Monika Schulz

A Igreja da Nossa Senhora do Rosário, em Atibaia, guarda uma exposição de objetos históricos raros e originais, utilizados desde a metade do século XVII. O museu nomeado de Santa Madre Paulina foi criado em 2005 pelo Padre Eugênio Luiz Berti, com o objetivo de fortalecer a memória dos negros que construíram a Igreja do Rosário dos Homens Pretos. Memória essa que pode ser relembrada por apenas algumas pessoas, pois além da maioria da população desconhecer a existência do museu, hoje ele é fechado ao público.

Santa Madre Paulina e trecho da Lei Áurea na entrada do museu.

Atualmente, o museu conta com mais de 120 tipos de peças da época da escravidão, utilizadas no dia a dia das famílias de Atibaia e região, como utensílios para moer cana, serrar toras e cuidar da terra, recortes de jornais com a venda de escravos e trechos da Lei Áurea, acessórios de beleza e higiene das senhoras e pedaços que ruíram da construção antiga da Igreja do Rosário. Além disso, a exposição tem a Benção Apostólica, ao organizador do museu, feita pelo Papa João Paulo II em 2003, denominando Berti uma relíquia da cidade de Atibaia.

Chave que trancava os negros nas celas e os pesos que prendiam nos pés dos escravos.

Estes objetos foram arrecadados pela Paróquia São João Batista, a partir de doações de fazendeiros e voluntários. A organização da exposição se preocupou em preservar detalhes da história e reuniu itens que estavam perdidos, explicou o sacristão João Alves da Cunha. “Todas as peças são importantes e cada uma tem o seu destaque próprio, porque mostram como tudo funcionava no passado”, afirmou Cunha.

Sacristão João Alves da Cunha explicando os quadros das senhoras.

Apesar do museu ser pouco popular, Ronan Verutti conseguiu visitar a exposição e afirmou que aprendeu muitas curiosidades históricas de Atibaia. “Eu sabia da existência do museu, porque frequentava a igreja como coroinha. Acredito que o quadro de funcionários e a divulgação poderiam melhorar para que mais pessoas conseguissem prestigiá-lo”, completou Verutti.

Museu Santa Madre Paulina localizado dentro da Igreja do Rosário.

Os interessados em conhecer o museu podem comparecer na Igreja da Matriz para marcarem uma data de visita. A Igreja fica na Praça Claudino Alves, s/n, no Centro de Atibaia e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30, com exceção das quartas-feiras, onde a Igreja é fechada para manutenção. A visitação é gratuita e deve ser agendada com antecedência devido à falta de funcionários no local.

A maioria da população de Atibaia e região afirma gostar de visitar museus e desconhecer a existência do Museu Madre Paulina.

A Igreja do Rosário foi construída pelos escravos na segunda metade do século XVII. Na época, os negros eram proibidos de frequentarem a igreja dos senhores, surgindo a necessidade de um local que pudessem rezar para os Santos. Em 1817, a obra foi concluída e os cultos começaram a ser realizados. Em 1914 um raio atingiu a torre que provocou um início de desmoronamento da estrutura, mas em 1916, a reforma foi concluída e a Igreja fez a procissão da imagem da Nossa Senhora do Rosário, Santa que permanece até hoje no altar.

Made with Adobe Slate

Make your words and images move.

Get Slate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.