Por que é comum ter baixos níveis de ferro? DEFICIÊNCIA DE FERRO UM PROBLEMA MUNDIAL

A deficiência de ferro e anemia afeta mais de 3,5 bilhões de pessoas ao redor do mundo (Organização Mundial da Saúde), resultando em problemas de saúde e comprometimento cognitivo em todas as fases da vida.

Principalmente porque hoje em dia nós comemos menos e nossa dieta contém menor quantidade de carnes ricas em ferro do que a dos nossos ancestrais.

Hoje o nosso conceito de beleza é diferente, um corpo magro é tido como ideal e, portanto, consumimos menos alimentos ricos em energia - e minerais.

Assim, por exemplo, as mulheres que menstruam por três dias ou mais, quase sempre precisam de suplementos de ferro para compensar a perda de sangue.

Outros grupos de risco são atletas, jovens em crescimento, grávidas e lactantes.

Homens adultos raramente sofrem de deficiência de ferro.

O que acontece quando os níveis de ferro estão baixos?

Você pode ficar cansado/a, ter problemas de concentração, seus cabelos e unhas podem ter mau aspecto e você pode se sentir fraco/a. Já foi demonstrado que baixas contagens de ferro têm um impacto negativo sobre a capacidade de aprendizagem e as habilidades físicas.

As contagens de ferro em mulheres grávidas (ou planejando uma gravidez), têm influência sobre o peso do feto. Esta influência se dá em um tal grau que afetará o estado de saúde durante toda uma vida. Além disso, a absorção de cádmio aumenta, o que pode levar à osteoporose.

Quais os tipos de ferro que podemos digerir?

O ferro elementar é chamado de orgânico, ou de ferro heme, quando está ligado às proteínas hemoglobina ou mioglobina, como por exemplo, em refeições à base de carnes.

Todos os outros tipos de ferro são inorgânicos ou não-heme e isso se dá quando a molécula de ferro é quelada ou ligada, por exemplo, a sais (como em vegetais), amido, citratos ou outros compostos químicos.

Nossos corpos podem utilizar ambas as formas, mas o ferro heme é muito superior, tanto com relação à ingestão, quanto à tolerância.

omo o ferro é armazenado no corpo?

O ferro é armazenado principalmente no fígado, como ferritina ou hemossiderina. Em um exame de sangue, o valor de Hb demonstra a quantidade de ferro, sob a forma de hemoglobina, que o corpo tem disponível para o transporte de oxigênio até as células. A contagem de ferritina é usada para medir o ferro em estoque.

A ferritina armazenada no fígado é a fonte fisiológica primária de ferro em reserva no corpo.

O ferro estocado no corpo é o primeiro a ser acionado quando há deficiência de ferro. Como o ferro é requisitado primeiramente pela hemoglobina, a anemia por deficiência de ferro é a principal manifestação clínica da deficiência de ferro.

O que afeta a absorção de ferro?

Café, chá, leite e pão integral reduzem a absorção de ferro, enquanto a vitamina C, por exemplo, num suco de laranja, tem um efeito positivo.

O ferro heme (em refeições de carne) é absorvido através de um mecanismo à parte e praticamente não sofre influência daquilo que ingerimos simultaneamente.

Entretanto, o cálcio em produtos à base de leite é considerado redutor da absorção de ferro.

Você pode absorver ferro em demasia?

Sim, se você, por exemplo, sofrer de uma doença rara e hereditária denominada hemocromatose, ou se você for exposto a doses muito grandes de ferro. A dose considerada potencial causadora de envenenamento é de 20 mg ou mais de ferro por quilograma de peso corporal. O resultado é principalmente náusea, mas os efeitos podem ser mais graves. Esta é a razão pela qual suplementos de ferro devem sempre ser mantidos fora do alcance de crianças.

Quando se trata de ferro heme, apenas o que é necessário é absorvido. O resto permanece inerte no intestino, ao contrário do ferro não-heme, que deixa no estômago partes não absorvidas sob a forma de íons de ferro livres, tóxicos e reativos, causando efeitos colaterais gastrointestinais. A eficácia do ferro heme é tão boa, que uma pequena dose é tudo que é necessário para recuperar os níveis ideais de ferro.

A fonte para o ferro heme é sangue bovino da indústria de alimentos. E quanto à EEB?

Já não há casos de EEB (Encefalite bovina) na União Européia e a certificação é muito rigorosa.

Hoje isso não é mais um problema, nem mesmo teoricamente.

Os comprimidos OptiFer® são produtos orgânicos baseados em hemoglobina bovina. São seguros?

Comprimidos para a suplementação com ferro heme vêm sendo utilizados na Escandinávia há mais de 30 anos. Não houve casos de efeitos secundários graves ou intoxicações relatados após o uso por literalmente milhões de indivíduos.

A matéria-prima tem qualidade farmacêutica e vem com todas as certificações necessárias.

Os comprimidos OptiFer® contém apenas 18 mg de ferro. É uma dose suficiente?

Nos primeiros anos, os suplementos de ferro heme precisaram ter a quantidade de ferro aumentada, o que foi feito através da adição de ferro não-heme de modo a alcançar a dose terapêutica.

Hoje uma nova matéria-prima foi desenvolvida. Todo o ferro utilizado na série de produtos OptiFer é ferro heme.

Uma vez que o ferro heme é mais facilmente absorvido, a eficácia significa que uma menor dosagem pode facilmente competir com a dos produtos não-heme com 50 mg ou mais por dose.

(“Iron supplementation in pregnancy: is less enough”, Eskeland et al. Acta Obstet Gyn Scand 76 1997)

A matéria-prima, por ser orgânica, é mais sensível?

A matéria-prima em pó, seca, quando utilizada em comprimidos, é totalmente inerte ao longo do tempo e não suscetível a qualquer perturbação.

O produto resiste ao tempo e às condições climáticas, uma vez que os comprimidos são embalados em cartelas de bolhas (blisters) herméticas.

A legislação relativa a suplementos e alimentos, no entanto, solicita que seja indicada claramente na embalagem uma data de validade, geralmente de dois ou três anos a partir da data de fabricação.

Existe um limite para a disponibilidade de matéria-prima?

A indústria de alimentos produz a matéria-prima utilizada em suplementos de ferro heme em uma quantidade muitas vezes maior do que a necessária.

Não haverá escassez de matéria-prima para produção de comprimidos de ferro heme.

Quão segura é a ingestão de ferro heme? O que sabemos historicamente?

Não há relatos sobre efeitos colaterais graves ou envenenamento mesmo após o uso massivo desde a introdução na Escandinávia na década de 1970.

Em estudos clínicos, a taxa de efeitos colaterais é em nível de placebo (o mais baixo possível). É muito pouco provável que ocorra envenenamento com as doses baixas utilizadas nos comprimidos de ferro heme.

E em relação a aspectos religiosos, como halal ou kosher?

O produto contém material derivado de hemoglobina bovina, o que pode ser uma questão sensível.

No entanto, quando usada puramente como um suplemento em uma situação médica, onde a situação pode implicar em uma fatalidade, não há preocupação religiosa. (Autoridade religiosa imã Mohammed Saieed Waezi)

Created By
FerroCare Division of MediTec Group
Appreciate

Credits:

Created with images by James St. John - "North Window Arch (Arches National Park, eastern Utah, USA)" • pedrosimoes7 - "Little Devil" • emdot - "camptown brunches all day long doodah doodah" • PublicDomainPictures - "adult black body" • hermann940 - "coffee tea cup" • Neeta Lind - "NURSE! JUICE BOX! STAT!" • UnitedSoybeanBoard - "Cattle in the Pasture" • eroyka - "worker little girl hammer" • frolicsomepl - "cure drug cold" • stux - "mountains alpine upper bavaria" • daveynin - "Snapshot of Patti overlooking the Glacier Point vista" • UC Davis College of Engineering - "Andrew Hernandez" • Kamal Zharif - "We will stay forever"

Made with Adobe Slate

Make your words and images move.

Get Slate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.