Aspectos do Traçado Urbano: Combinações de traçados,quarteirões e formas de lote

"A malha ou Traçado Urbano é uma planta da cidade representada pelo seu sistema viário e espaços delimitados pelas vias."

O traçado deve começar pela avenidas, ruas e passeios para pedestres. O resultado será sempre único pois depende da topografia, dos tipos de usuários e das razões pelas quais as vias são usadas.

MASCARÓ, Juan Luis. Loteamentos Urbanos.

O traçado das vias pode ser ABERTO OU FECHADO, cada um deles tendo várias possibilidades de configuração.

Em todas as situações, os TRAÇADOS ORTOGONAIS serão mais econômicos, pois as glebas resultantes serão mais regulares o que proporciona seu melhor aproveitamento e ocupação.

Os cruzamentos gerados a partir de TRAÇADOS NÃO ORTOGONAIS são mais difíceis de tratar, especialmente no quesito visibilidade. Terão também uma maior área a ser pavimentada.

As malhas fruto de traçados não ortogonais serão, é claro, mais extensas, mais uma razão que leva ao aumento de custos.

MALHA LINEAR

Caracteriza-se por vias retas em sequência.

Há uma repetição de carateristicas formais das glebas - MORFOLOGIA, DIMENSÕES E ORIENTAÇÃO.

Malha Linear Aberta: Possui mais de uma articulação com a malha viária do entorno, sendo bastante comum em pequenas glebas.

Malha Linear Fechada: Possui uma rua central sem saída (em cul-de-sac) e um ponto de articulação com malha externa.

Radburn - New Jersey

Malha Linear Semi-Fechada: uma junção da aberta com Fechada na qual uma das extremidades da rua é para retorno e possui uma via intermediária transversal, o que garante um maior contato com as áreas vizinhas.

Malha Linear Fechada c/ praça central: praça central apresenta aspectos muitos similares a esta última, porém, neste caso a rua contorna uma praça central, criando um grande largo na frente dos lotes.

Malha Linear em Alça: a rua sofre uma bifurcação, mas neste caso, contorna não mais um espaço de uso público, mas sim uma quadra, um espaço privado.

MALHA RETICULADA

Formada por feixes paralelos de vias e que ocupam uma áres maior caracterizada como ortogonal e irregular.

CLASSIFICAÇÃO DAS MALHAS RETICULARES

Malha Reticulada Ortogonal: Traçado geométrico muito regular, com ruas direitas e perpendiculares, formando entre elas ângulos retos (de 90 graus.)

Malha Reticulada Irregular: As ruas não seguem uma disposição regular, seguindo várias direções.

Normalmente a Malha Reticulada Ortogonal, é aplicada em grandes glebas, o que pode proporcionar um melhor arranjo espacial.

MALHA RADIAL

As ruas convertem para um mesmo ponto.

forma de representação do traçado urbano

Mapa figura-fundo

ADOTANDO A MALHA ABERTA:

  • Aumento da quantidade de lotes por hectare, aproximadamente 17,6% em comparação com a malha fechada;
  • Diminuição da rede de malha viária, 11,2%

DESVANTAGENS:

  • Maior probabilidade de interrupção no caso de acidentes ou manutenção;
  • A distribuição de gás, coleta de lixo, etc, ficam mais complexos;
  • Os custos de transporte aumentam pois as distâncias ficam maiores.

MAIS QUAL A MELHOR SOLUÇÃO??

A combinação dos traçados abertos/fechados. Uma boa alternativa é

  1. Definir as vias de trânsito intenso e as arteriais com traçado fechado.
  2. Vias secundária e de trânsito eventual podem ser abertas.

TEM ECONOMIA NOS TRAÇADOS MISTOS??

os transportes tem seus principais custos relacionados as vias principais, que fechadas, proporcionarão grande economia ao sistema.

Segundo Mascaró , para potencializar essa economia, as vias principais devem ter QUARTEIRÕES MAIS LONGOS do que o habitual. O grão também é importante nessa relação.

(...) a abertura da malha urbana ou a distância entre vias circundantes.

em qualquer dos traçados, um GRÃO MAIOR implica na diminuição da área de vias;

GRÃOS PEQUENOS, o traçado fechado é mais econômico, isso mostra que traçados com rua de penetração são viáveis do ponto de vista econômico, somente se usados com grandes distâncias entre as vias principais e secundárias.

As ruas de penetração devem ter largura correspondente a 50% das demais.

“Em resumo, se quiser obter um traçado econômico, é importante usar o maior grão possível para a malha principal e ruas de penetração relativamente extensas, claramente hierarquizadas, não importando muito, do ponto de vista econômico, se elas serão cul-de-sac, em T (duplo cul-de-sac) ou de circulação interior ( também conhecidas como em alça ou bucle). “

O TRAÇADO É RESULTADO DO SISTEMA VIÁRIO OU DO DESENHOS DAS QUADRAS?

O QUE SÃO QUADRAS RESIDUAIS E RACIONAIS?
  1. Paralelamente o projeto dos edifícios era controlado (gabarito de altura, composição das fachadas, matérias e elementos construtivos) para regularizar o tecido urbano e proporcionar uma extraordinária força de conjunto. A habitação coletiva compunha a diversidade programática da quadra através de sua sobreposição em distintos pavimentos o que gerava habitualmente edifícios multifuncionais.
  2. Apesar de aparentar a imposição de uma nova ordem, indiferente ao contexto, o ajuste das bordas é feito com extrema habilidade tendo como suporte avenidas diagonais que surgem a partir de conexões pré-existentes. O corte diagonal nas arestas da quadra transforma o simples cruzamento de vias em lugar, gera também desta forma maior amplitude visual dos edifícios de esquina.*
O importante é enfatizar que neste momento a quadra passa de uma condição de residual para se tornar suporte de uma composição urbana que a tem como espaço da cidade. Dá-se um passo adiante da relação edifício-rua como definidor da quadra, ou seja, o perímetro da quadra deixa de ser o limite do espaço público.
Traçado Urbano de Amsterdã

Quadra pós-moderna contextualista

recupera a ocupação perimetral e conseqüentemente o desenho da rua tradicional. A esquina volta a ser valorizada como referência urbana. Pequenos fracionamentos do perímetro recuperam a possibilidade de acesso ao centro da quadra que volta a assumir o papel de espaço coletivo habitualmente recebendo equipamentos e generosas áreas verdes.

Berlim e barcelona

  • Recupera a ocupação perimetral e conseqüentemente o desenho da rua tradicional.
  • Esquina - valorizada como referência urbana.
  • Pequenos fracionamentos do perímetro recuperam a possibilidade de ACESSO AO CENTRO da quadra que volta a assumir o papel de espaço coletivo habitualmente recebendo equipamentos e generosas áreas verdes.

Quadra Aberta

o pensamento contemporâneo tende a considerar a possibilidade de uma revisão do espaço construído e do espaço livre da cidade herdada a partir de um posicionamento complementar do espaço já constituído.

A quadra aberta é por essência um elemento híbrido conciliador.

  • Permite a diversidade, a pluralidade da arquitetura contemporânea.
  • Recupera o valor da rua e da esquina da cidade tradicional, assim como entende as qualidades da autonomia dos edifícios modernos.
  • A relação entre os distintos edifícios e a rua se dá por alinhamentos parciais, o que possibilita aberturas visuais e o acesso mais generoso do sol.
  • Os espaços internos gerados pelas relações entre as distintas tipologias podem variar do restritamente privado ao generosamente público, sem desconsiderar as nuances entre o semipúblico e o semiprivado.

Conjunto Golden Lane

"quadra aberta permite reinventar a rua: legível e ao mesmo tempo realçada por aberturas visuais e pela luz do sol. Os objetos continuam sempre autônomos, mas ligados entre eles por regras que impõem vazios e alinhamentos parciais. Formas individuais e formas coletivas coexistem. (..)"
Created By
Maiara Marjore
Appreciate

Made with Adobe Slate

Make your words and images move.

Get Slate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.