Mundo Industrial De Londres a São paulo

LONDRES SÉCULO XVII

VISTA DE LONDRES, DESDE BANKSIDE. WENCESLAUS HOLLAR (1647)

FONTE: WIKIMEDIA

MAPA DE LONDRES EM 1665, FEITO POR WENCESLAU HOLLAR

FONTE: WIKIMEDIA

A RAINHA ELIZABETH I FOI A ÚLTIMA DE SUA DINASTIA, JÁ QUE PROCUROU MANTER SEU TÍTULO ATRAVÉS DA CASTIDADE. FATO QUE A FEZ FICAR CONHECIDA COMO A “RAINHA VIRGEM”.

Elizabeth I (1558 - 1603) FONTE: https://cchistory322exhibitspring2012.wordpress.com/queen-elizabeth-i/

Durante o início do século XVII, a morte da rainha Elizabeth I foi seguida pela coroação de seu parente mais próximo, o rei da Escócia Jaime I. Este fato marcou o início da Dinastia Stuart no poder da Inglaterra, assim como o início do processo de formação do Reino Unido da Grã-Bretanha, por meio da unificação dos sistemas legislativos e jurídicos destes reinos.

Túmulo de Elisabeth I

FONTE: TUDOR BRASIL

Revolução Puritana e República de Cromwell

Revolução Puritana: momento em que ocorrem diversas batalhas entre os exércitos dos cavaleiros lutando a favor do atual rei e os exércitos burgueses dos “cabeças-redondas” procurando por mudanças econômicas e políticas juntamente das camadas mais baixas. Este conflito termina com a decapitação do rei e consequente declaração da República.

Execução pública de Carlos I, em Londres FONTE: http://www.arqnet.pt/portal/teoria/inglaterra_sec17.html FONTE: LOGUS Oliver Cromwell, by Samuel Cooper (died 1672)

República: único período da história inglesa em que esta forma de governo é posta em prática por dez anos. Todavia, Oliver Cromwell acaba instaurando uma ditadura, durante a qual realiza o Ato de Navegação (1651) e, com isso, acaba entrando em guerra com a Holanda. Com a morte de Cromwell, seu filho Ricardo, após sucede-lo foi deposto pelos membros do Parlamento.

Restauração da Monarquia

Restauração da Monarquia: Momento em que os membros do Parlamento decidem restaurar a Dinastia Stuart, contudo, logo os grupos entram em novos conflitos, que terminam com a dissolução do Parlamento.

Retrato por John Michael Wright, c. 1660–1665 FONTE:https://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_II_de_Inglaterra

A Grande Peste de Londres

Em 1665, embora os grandes planos de urbanismo já tivessem começado, a maior parte da cidade estava fechada dentro da antiga muralha, o que provocou a chamada Grande Peste de Londres, que foi uma epidemia que vitimou entre 75.000 e 100.000 pessoas, ou seja, um quinto da população de Londres.

Imagem anônima criada durante a Grande Peste de 1665 FONTE:http://miltonribeiro.sul21.com.br/2013/12/13/daniel-defoe-o-grande-cronista-da-londres-do-seculo-xvii/

No ano seguinte, um gigantesco incêndio destruiu 80% da cidade.

FONTE: WordPress.com

Revolução Gloriosa

Revolução Gloriosa: insatisfeitos com a situação, os burgueses orquestram um golpe de estado com o príncipe holandês Guilherme de Orange e depõem o rei sem que houvesse derramamento de sangue. Orange assina a Declaração de Direitos, que estabelece o sistema de monarquia parlamentarista na Grã-Bretanha e, com isso, finaliza o processo de mudanças políticas no país.

FONTES; http://www.storiesfromhistory.com/the-glorious-revolution/ https://en.wikipedia.org/wiki/Glorious_Revolution

LONDRES SÉCULO XVIII

FONTE: http://hisviva.blogspot.com.br

MAPA DE LONDRES XVIII

FONTE: ISTOCK

Depois da Revolução Gloriosa, burgueses e proprietários de terra foram alçados ao controle do poder, representados por um Parlamento que passa a submeter a Coroa. Esse pioneirismo vai criar as condições econômicas e culturais para que o capitalismo possa se desenvolver; a Inglaterra será o principal país da Revolução Industrial.

FONTE:http://www.klickeducacao.com.br/2006/enciclo/encicloverb/0,5977,IGP-415,00.html

Também no século XVIII foi inventada a máquina a vapor que deu um impulso a Revolução Industrial, afetando diretamente a produtividade e a paisagem da cidade.

FONTE: https://www.algosobre.com.br/historia/revolucao-industrial.html

A cidade de Londres ocupou o lugar de centro da economia mundo. A cidade só obteve este estatuto devido a uma série de fatores de extrema importância, tais como: a criação de um mercado interno forte, com poder de compra, criando assim uma alavanca de iniciação ao desenvolvimento industrial e ao desenvolvimento agrícola. Além disso, detinha um monopólio quase total de todas as importações e exportações de produtos ingleses, criando na cidade uma grande afluência de culturas, bens e principalmente capitais, para criar esta centralização de Londres foi necessário abolir as alfândegas deixando de se cobrar impostos entre as várias regiões da Inglaterra, Escócia e País de Gales.

Londres foi o centro político de toda a Grã-Bretanha. Tanto o parlamento como a coroa se fixaram nesta cidade criando um centro político que durante dois séculos controlará a política mundial. Também as grandes empresas e companhias marítimas vão ter a sua sede na cidade de Londres.

CURIOSIDADE

Nos anos iniciais do século XVIII, o termo “sporting” era usado para designar as atividades de diversão que a gentry realizava no campo, comumente com o uso de animais: especialmente corridas de cavalo e caça, mas também a pesca e, algumas vezes, brigas de animais, estas de caráter mais popular. Muitos foram os quadros que expuseram tais costumes sob a insígnia de esporte.

Uma bela obra que bem representa um desses costumes é “Membros do Carrow Abey Hunt”, de Philip Reinagle, (1780, óleo sobre tela, 11,7 x 15,5 cm; acervo de Tate Colletion/Londres/Londres)

LONDRES SÉCULO XIX

FONTE: https://www.altoastral.com.br/curiosidades/sujeira-londres-seculo-19/

Cidade de Londres século XIX, logo após a Revolução Industrial.

MAPA DE LONDRES SÉCULO XIX

FONTE: http://urbanidadeslondres.blogspot.com.br/2012/03/mapas-de-londres-ok.html?m=1

Com o crescimento das indústrias, um êxodo rural crescente para as cidades durante o século XIX, contribuiu para abarrotá-las. Se tornando uma cidade fabril, onde as pessoas ou trabalhavam nas fábricas, ou iam trabalhar nas minas de carvão e na construção de ferrovias. Essas massas de homens, mulheres e crianças se aglutinavam nos bairros operários que em geral eram formados por cortiços das piores espécies.

FONTES: imageem1: http://seguindopassoshistoria.blogspot.com.br/2011/12/cidades-infernais_01.html imagem2: http://placebosalternativos.blogspot.com.br/2014/08/como-os-automoveis-salvaram-o-ambiente.html

As pessoas nessa época, se locomoviam a pé ou a cavalo, e somente as mais privilegiadas possuíam charretes e carruagens. As ruas não eram pavimentadas e sim de terra batida , que em dias de chuva, se tornavam verdadeiros lamaçais. Além disso, haviam muitos problemas de higiene que causavam surtos de cólera, desistiria, febre amarela, peste entre outros.

FONTE: http://www.gettyimages.pt/detail/ilustra%C3%A7%C3%A3o/great-st-helen-london-19th-century-ilustra%C3%A7%C3%A3o-royalty-free/532342604

Como disse Friedrich Engels, um teórico e filósofo alemão, ao visitar Londres em 1840: "Nas ruas a animação é intensa, um mercado de legumes e frutas de má qualidade se espalha, reduzindo o espaço para os passantes. O cheiro é nauseante. A cena torna-se mais espantosa no interior das moradias, nos pátios e nas ruelas transversais: não há um único vidro de janela intacto, os muros são leprosos, os batentes das portas e janelas estão quebrados, e as portas, quando existem, são feitas de pranchas pregadas. Nas casas até os porões são usados como lugar de morar e em toda parte acumulam-se detritos e água suja".

SÃO PAULO SÉCULO XIX

FONTE:http://historiahoje.com/

Largo São Bento e Estação da Luz, em meados do século XIX.

MAPA DE SÃO PAULO XIX

MAPA CARTOGRÁFICO 1897 SÉC. XIX E ÁREA URBANIZADA 1890 -1900 FONTES: http://www.ufrgs.br e http://smdu.prefeitura.sp.gov.br/historico_demografico/1890.php

No início do século XIX, com a independência do Brasil, São Paulo passou a firmar-se como capital da província tendo como influência o modelo de industrialização Capitalista iniciou-se diversas mudanças:

A Estrada de Ferro Santos – Jundiaí (1862-1867) ; edifícios do governo no Pátio do Colégio (1887) e Museu do Ipiranga (1895)

Será marcante nesse período, o surgimento de edifícios para uso institucional que irá caracterizar a paisagem da cidade, e também as inovações dos métodos de produção e transporte que modificará o imaginário e o modo de vida de seus habitantes e visitantes. Passando a ser exercido no Brasil, critérios de valor como pontualidade e produtividade.

Expansão Cafeeira ; Fim da escravidão em 1888 e Imigração no Séc. XIX

Além disso, a expansão cafeeira juntamente com o fim da escravidão, impulsionou a imigração, gerando o crescimento da área urbana. A população de São Paulo em 1895 era de 130 mil habitantes (dos quais 71 mil eram estrangeiros), chegando a 239.820 em 1900.

Um Bairro pobre de Londres - Gravura de Gustave Doré (1872) / Vale do Anhangabaú ( Final do séc. XIX).

Ou seja, durante o Séc. XIX, enquanto São Paulo passa pelo processo de urbanização e industrialização tendo como influência entre vários modelos, Londres. Está já apresenta de forma evidente as consequências negativas do mesmo processo (Altos índices de crime, desemprego, miséria, etc.) .

CONCLUSÃO

A caracterização de Londres no Filme Oliver Twist

Londres representada no filme é muito verossímil a Londres do século XIX. Podemos perceber que existe na cidade diversas casas abandonadas e ocupadas, desenvolvimento desigual da infraestrutura ao longo dos bairros da cidade, aglomeração populacional, desemprego entre outros fatores que são consequências do êxodo rural e da urbanização, causados pela revolução industrial.

Personagens como Fagin, Bill, as crianças e as prostitutas representam a camada miserável. Eles viviam de forma marginalizada em péssimas condições, sua forma de vida representava para o período o "inferno" de Londres.

Já personagens como Sr. Brownlow e o Sr. Bumble representam a camada de classe alta, vivendo nos bairros nobres, sujeitos a regalias e luxo.

Ou seja, fica claro a intenção do autor de contrapor as duas caracterizações principais q surgiram ao longo da formação de Londres e torna-se visíveis no século XIX, a riqueza paralela a miséria

PRODUÇÃO

Eduardo Galhardo (09), Maria Carolina (31), Sara Kelly (37), Tamires Ferreira (38)

2ºD

Credits:

Created with images by Pablo F. J. - "Palacio de Westminster, Londres, Reino Unido" • Biblioteca Rector Machado y Nuñez - ""A Beadle! A Parish beadle, or I'll eat my head""

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.