Metodistas Raízes & Matrizes

Por Luiz Carlos Ramos

Introdução

Nossas Raízes

O metodismo tem profundas raízes e admiráveis matrizes.

✑ As raízes são as nossas origens ancestrais remotas, de cuja seiva depende a nossa vitalidade e remontam a Jesus Cristo e ao Evangelho.

✑ As matrizes, são nossas ascendências mais próximas, e estas nos conferem identidade e especificidade no corpo de Cristo.

Raízes Cristãs✑

✑ Bíblia como fonte primária de fé & prática

  • Deus (teologia)
  • Jesus Cristo (cristologia)
  • Espírito Santo (pneumatologia)
  • Humanidade (antropologia)
  • Igreja (eclesiologia)
  • Reino de Deus (escatologia)
Raízes Wesleyanas ✑

✑ Contexto

"O movimento metodista teve seu início há quase três séculos, na Inglaterra. Era uma época em que a sociedade inglesa passava por rápidas transformações. Milhares de pessoas saíam da zona rural, que era controlada por grandes proprietários, para procurar trabalho nas novas indústrias das cidades. Era uma época em que o povo vivia na miséria, trabalhando longas horas e só ganhando o mínimo necessário para sua sobrevivência.

"As pessoas moravam em cortiços, sem as mínimas condições e, quando ficavam doentes, não tinham acesso a médicos. As crianças não iam à escola porque, em geral, trabalhavam para ajudar seus pais. Havia grande número de viciados, especialmente de alcoólicos.

"A Igreja Anglicana era a igreja principal da época, mas não se preocupava com o sofrimento do povo e estava acomodada na prática de cultos alienados. Havia outras pequenas igrejas e grupos religiosos promovendo a renovação, mas quase todas se mantinham na piedade individual, sem qualquer compromisso com a sociedade. As igrejas tentavam salvar o indivíduo sem, entretanto, lutar por uma sociedade mais justa."

(Fonte: Momentos Decisivos do Metodismo, Prof. Duncan Alexander Reily - Imprensa Metodista)

✑ Família Wesley e o povo chamado Metodista

Samuel, Suzana, John e Charles Wesley
John Wesley, patrono do movimento metodista

"John Wesley,o décimo quinto filho do casal Samuel e Suzana Wesley, com dezessete anos iniciou seus estudos de teologia na faculdade de Oxford, e recebeu seu diploma de bacharel em 1724, e o seu doutorado em 1727. Ele foi consagrado ministro da igreja Anglicana mas continuou também na faculdade de Oxford, onde lecionava grego.

Holly Club, Bands & Societies

"No ano 1729 Charles Wesley, o irmão de John Wesley, começou com mais dois estudantes um pequeno grupo que se reunia regularmente para orar, estudar a bíblia e encorajamento mútuo.

"Eles começaram a ser chamados de metodistas em função do método que usavam para auto-exame e autodisciplina."

Extraído de: http://www.materiasdeteologia.com/2013/05/o-clube-santo-e-o-avivamento-de-ingles.html#ixzz4sg8M66nK — Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

A estratégia de formar pequenos grupos (chamados Bands e Societies) foi aprimorada e extremamente importante no movimento metodista.

Anunciar o Evangelho não basta, é preciso organizar comunidades solidárias que vivam efetivamente esses Evangelho.

✑ Quadrilátero wesleyano

✑ Teologia da Graça

  • Graça preveniente (antes)
  • Graça justificadora (durante)
  • Graça santificadora (depois)

✑ Vida, Missão & Serviço

  • Amor a Deus e ao próximo
  • Pão & Palavra
  • Atos de piedade & obras de misericórdia
Circuit Riders, os pregadores metodistas itinerantes

Nossas matrizes

Igreja da Inglaterra ● Reforma Protestante ● Pietismo

✑ Igreja da Inglaterra
  • Princípios de Fé
  • Estrutura e ênfases eclesiásticas
  • Livro de Oração Comum
✑ Reforma Protestante

Luteranos & Calvinistas Sabe-se também que os Wesley tinham contato com a literatura e com ministros luteranos e calvinistas. A memorável experiência do coração aquecido, do dia 24 de maio de 1738, se deu quando John ouvia uma leitura sobre a teologia da graça, registrada no comentário de Lutero à Epístola aos Romanos.

Também é notória a influência do mais famoso pregador calvinista de então sobre os primeiros metodistas. Foi com George Whitefield que eles aprenderam a valorizar a pregação ao ar livre e a levar o Evangelho para o povo simples, fora das quatro paredes dos templos anglicanos.

Withefiled ✑ Foi um pastor anglicano (calvinista) itinerante que ficou conhecido como o "príncipe dos pregadores ao ar livre", foi o evangelista mais conhecido do século XVIII. Pregou durante 35 anos na Inglaterra e nos Estados Unidos, quebrou as tradições estabelecidas a respeito da pregação e abriu o caminho para a evangelização de massa.

A partir de agora minha paróquia é o mundo. (j. Wesley)
John Wesley pregando ao ar livre
✑ Movimento Pietista & Puritano

Morávios ✑ O convívio de Wesley com os morávios marcou profundamente a piedade metodista, principalmente pela maneira como aqueles enfrenta- vam com confiança e serenidade as mais duras e aterradoras situações da vida.

Para saber mais sobre os morávios,

Puritanos ✑ Na prática metodista, nota-se claramente a influência dos 6 pontos enfatizados pelo pietista Jacó Spener:

  1. Estudo da Bíblia entre o povo e em família;
  2. Estabelecimento de pequenas „igrejas-casas“;
  3. Prática do sacerdócio por todos os cristãos;
  4. A experiência por fé (não letra);
  5. Moderação de debates teológicos;
  6. Busca pela santidade.

Síntese & superação

Podemos afirmar com convicção que a espiritualidade metodista é o resultado de uma síntese salutar dessas três tradições, a saber, a ✑anglicana, a ✑reformada, a ✑pietista, e a ✑puritana No entanto, também podemos constatar que essa síntese não significou redução, mas antes superação dessa matriz.

A despeito de toda a admiração pela liturgia ✑ anglicana, os metodistas foram muito além do clericalismo hierárquico, elitizado e templocêntrico, então reinante, e cuidaram para que se tornasse laica, societária, popular e cosmocêntrica (o mundo é a paróquia).

Em relação à influência da ✑ tradição reformada, os metodistas atrelaram radicalmente à teologia da graça a prática do amor. Não se contentaram em simplesmente pregar para multidões, mas se empenharam em organizá-las em grupos cooperativos, criando as bands e as sociedades: a pregação é importante, mas mais importante é a formação de comunidades solidárias.

E quanto aos ✑ pietistas, há registro de correspondência trocada entre os irmãos Wesley na qual esses pais fundadores justificam o porquê do rompimento com os morávios. Conquanto admirassem a piedade deles, os Wesley não podiam aceitar uma religião que não fosse social, que não se importasse com próximo e com a prática da misericórdia. O individualismo da piedade morávia e a afetação extática emocionalmente desequilibrada dos entusiastas foram alvo da crítica dos Wesley.

Em relação aos ✑ puritanos, Wesley não se identificou com o movimento não-conformista (que pretendia banir os elementos católicos da igreja). Ao contrário, ambos os irmãos, Charles e John, permaneceram fieis à Igreja da Inglaterra até o final.

Disso decorre a síntese radical da espiritualidade metodista, que integra plenamente os atos de piedade (devoção a Deus) e as obras de misericórdia (amor ao próximo). Essa é a matriz metodista, que é a uma só vez síntese e superação, capaz de preservar a riqueza da tradição e também de recolher o que há de melhor da fé e da prática de outras tradições, tendo como critério último de seleção a indissociabilidade entre o amor a Deus e o amor ao próximo.

Metodismo e a transformação da sociedade

Fundição, adquirida pelos metodistas e transformada em centro de adoração e solidariedade — Fonte: Wikipédia
Fomos chamados para reformar o país e, em particular, a Igreja e espalhar a santidade bíblica por toda a terra” (J.Wesley)
Podemos afirmar que, na prática, os metodistas se empenham por implementar concretamente o "Reino de Deus", inaugurado por Jesus Cristo.

✑ Ações efetivas de combate à imoralidade e ao crime

✑Linguagem obscena ✑ jogatina ✑ alcoolismo ✑ licenciosidade ✑ recreações bárbaras (“Jogo de bastões”, briga de cachorros, briga de galos, “bear-baiting”, “bull baiting”, etc.) ✑ vícios e hábitos prejudiciais à saúde (rapé, fumo...) ✑ contrabando ✑ roubo...

✑ Cuidado para com os pobres e os enfermos

Wesley dedicou-se aos estudos de medicina para poder ajudar o povo empobrecido

✑ Criou um fundo de emergência para socorrer os necessitados ✑ Criou um ministério de visitação e assistência sistemática aos enfermos ✑ Montou uma tecelagem para dar oportunidade de emprego a muitos desempregados ✑ Fundou orfanatos, lares para viúvas e escolas ✑ Criou farmácias populares, livrarias para vender livros de segunda mão, banco de emprego e de empréstimos ✑ Os metodistas fundaram o primeiro sindicado de trabalhadores na Inglaterra...

Cada pessoa devia fazer bem o seu serviço, lembrando que, no trabalho cotidiano, estava servindo a Deus. (D.A.Reily)
Esta filosofia resultou na elevação material do povo chamado metodista, dentro de poucas gerações, tornando-se a pobreza aguda quase desconhecida no seu meio.(D.A.Reily)

✑ Reforma educacional

✑ O movimento metodista surgiu entre os estudantes mais estudiosos, de então, da Universidade de Oxford.

✑ John Wesley, depois de formado, tornou-se professor dessa mesma universidade.

A vida acadêmica e a presença nas escolas é tão natural para os metodistas quanto a frequência aos templos.

A alfabetização e a educação de crianças e adultos foi, desde o início, preocupação prioritária para o povo chamado metodista.

A criação de escolas metodistas sempre acompanhou a expansão missionária do movimento. Eram raras as paróquias que não contassem com uma escola contígua, ou até mesmo funcionando dentro das próprias instalações eclesiásticas.
Kingswood Schoo, fundada por John Wesley em 1748
Estima-se que atualmente existam 630 instituições metodistas de ensino ao redor do mundo, espalhadas por 59 países.

✑ Nas escolas que fundou, Wesley procurou unir o saber à piedade ✑ Para os que não podiam frequentar escolas, emepnhou-se por alfabetizá-los, para que pudessem estudar de maneira autodidata, por meio da leitura ✑ Par isso, Wesley escreveu um grande número de panfletos, em que considerou assuntos variadíssimos, desde a liberdade até os modos práticos de limpar o orvalho das janelas das carruagens ✑ Participou da fundação da Escola Dominical, que era entendida como mais um passo na direção da educação popular (senhorita Ana Ball, de High Wycombe, considerada a fundadora da primeira Escola Dominical, organizada no ano de 1769 ✑

Roberto Raikes, redator e dono do “Gloucester Journal”, é geralmente considerado o Pai da Escola Dominical. Realmente, ele estabeleceu a sua primeira Escola só em 1780, uns 11 anos após a Escola de Ana Ball.

✑ Reforma das prisões

Newgate Prison, London by George Shepherd

✑ Uma das atividades principais do Clube Santo da Universidade de Oxford fora a visitação dos presos ✑ Wesley também atendia às necessidades materiais dos presos levantando coletas entre os metodistas ✑ Também exerceu influência sobre carcereiros o que resultou em muitas melhorias das condições degradantes dos cárceres e o fim de abusos e maus-tratos.

Por exemplo, quando Dagge, carcereiro da Cadeia Newgate em Bristol, converteu-se através da pregação metodista, ele transformou por completo a cadeia. (D.A.Reily)

Extrato da carta de J.W. so redator do “London Chronicle”:

"1. Toda parte da cadeia, no 1o andar e no andar térreo, e mesmo no porão onde os réus se prendem de noite, está tão limpa quanto a casa dum “gentleman”, sendo uma regra que cada preso lave e limpe o seu apartamento duas vezes por semana. 2. Aqui não há briga. Se alguém se julga ofendido, a causa é imediatamente referida ao carcereiro, que ouve os dois, face a face, e resolve a questão duma vez. 3. Os motivos usuais para a discussão não existem; porque é raro alguém lesar ou roubar um outro, sabendo que, sendo descoberto, será mais restrita a sua clausura. 4. Aqui não se permite embriaguez, ainda que fosse vantajoso ao carcereiro (que poderia cobrar um preço exorbitante pela bebida) e o taberneiro. 5. Não há prostituição, sendo as prisioneiras cuidadosamente observadas e separadas dos homens, e nenhuma mulher da cidade admitida, como prostituta por preço algum. 6. Todo o cuidado possível é tomado para evitar a ociosidade; para aqueles que querem trabalhar no seu ofício, providenciam-se as ferramentas e os materiais, em parte pelo carcereiro, que lhes dá dinheiro a juros moderados, e em parte pelas esmolas que lhe são dadas de vez em quando, as quais são divididas com perfeita imparcialidade. Assim, neste momento (2 de janeiro de 1761), um sapateiro, um alfaiate, um caldeireiro, e um fabricante de carruagem trabalham nos seus respectivos ofícios. 7. No dia do Senhor, eles nem trabalham nem se divertem, mas se vestem tão limpos quanto possível, para assistirem ao culto público, ao qual toda pessoa debaixo do teto está presente. Não se dispensa ninguém a não ser por doença; neste caso, o doente recebe tanto o conselho como o remédio. 8. Para ajudá-los espiritual e temporalmente, eles ouvem um sermão todos os domingos e quintas-feiras. Uma grande Bíblia está presa por uma corrente em um lado da capela, a disposição de qualquer preso. (North, op. cit. pg. 59, 60)."

✑ A abolição da escravatura

✑ No seu livro “Pensamentos sobre a Escravidão” publicado em 1774, Wesley condenou a escravidão nos seguintes pontos: (1) Os meios cruéis de capturar os escravos; (2) os horrores da viagem pelo mar, durante a qual muitos morriam; (3) o tratamento cruel dos mesmos pelos donos.

“Os comandantes de navios deviam deixar o tráfico da escravatura; os comerciantes deviam obedecer a sua consciência (nem comprando nem vendendo mais escravos); os fazendeiros não deviam derramar mais sangue inocente”. (J.Wesley)

✑ Esse posição de Wesley, bem como a atuação de muitos metodistas, desencadeou um forte movimento, junto a outros segmentos da sociedade inglesa, que culminou com a proibição dessa prática ultrajante, tanto no seio da igreja, como em todo o país.

Para arrematar

✑ Os metodistas têm suas raízes mais profundas na pessoa de Jesus de Nazaré, o Cristo, Senhor e Salvador do mundo.

✑ Os metodistas têm como matrizes, a Igreja da Inglaterra, a Reforma Protestante e o movimento Pietista. Essas matrizes nutriram o metodismo na sua tenra infância.

✑ Ao longo do tempo o movimento metodista amadureceu. Como todo organismo vivo, passou por altos e baixos, períodos de pleno vigor e também de evidente debilidade.

✑ Hoje vivemos uma encruzilhada. Como instituição, nos debatemos em meio a outros modelos, especialmente aqueles pentecostalizados e neo-pentecostalizados.

✑ Sofremos forte pressão no sentido de nos tornarmos uma seita morta, presa a dogmas sem amor e dirigida por estratégias de mercado.

✑ De modelo para o mundo e as outras igrejas, estamos nos reduzimos a cópias falsificadas dos modelos mercadológicos predominantes (exemplo disso são a liturgia e a hinologia, no que passamos de exportadores de cultura para importadores de espetáculo).

✑ Da mesma maneira que os primeiros metodistas foram abençoados com suas matrizes, mas as superaram (e se superaram), em grande parte, e foram capazes de vivenciar uma fé relevante para o seu tempo e sua época, transformando a igreja e o mundo, cabe a nós tomarmos consciência das influências e interferências que sofremos contemporaneamente, e buscarmos em Deus a coragem para enfrentá-las, compreendê-las e, se necessário, superá-las, no que precisam ser superadas, para não nos desligarmos nunca das nossas raízes mais profundas, cuja seiva nos mantém vivos, a saber, o nosso Senhor Jesus Cristo e seu Reino, o Novo Mundo de Deus, por ele inaugurado.

Igreja Metodista em Pirassununga

Primeiro templo da Igreja Metodista em Pirassununga

✑ O Metodismo chegou em Pirassununga no dia 6 de julho de 1988, trazido pelo missionário da Igreja Metodista Episcopal do Sul (EUA), Reverendo Edward E. Joiner

Atual templo da IM Pirassununga

✑ Hoje entendemos que, à luz das nossa raízes cristãs, e da nossa matriz wesleyana...

...nossa vocação é ser uma igreja de ✑corações abertos, ✑mentes abertas e ✑braços abertos.

Para aprofundamento

Created By
Luiz Carlos Ramos
Appreciate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.