Décimo Segundo Domingo Tempo Comum, Ano A — São Paulo, 30 de julho de 2017

Prelúdio

Aclamação

Amoroso Pai,

Bendito Senhor Jesus,

Terno e meigo Consolador,

Aqui estamos mais outra vez

E com nossas vozes

Cantamos louvores em gratidão,

Reconhecendo que tu nos amas e cuidas.

Dá-nos hoje tua alegria e paz,

Dá-nos hoje a graça de ouvirmos tua voz.

Sê conosco! Amém. [Marcelo Smargiasse]

Cântico “Estrela da Manhã” [TD, 148]

És a nossa Estrela da Manhã,

Cordeiro Santo que nos trouxe a paz.

Em tuas mãos está todo o vencer,

Resposta a todo aquele que clamar.

A verdade é tua Palavra, que não pode mentir.

Por isso estamos aqui.

Te louvamos, ó Senhor, pelo teu imenso amor.

Manifesta o teu perdão e poder,

E assim vamos te adorar para sempre,

Pra sempre, ó meu Deus

Leitura [Responso]

L1: Rendei graças ao Senhor, invocai o seu nome,

fazei conhecidos, entre os povos, os seus feitos.

L2: Cantai-lhe, cantai-lhe salmos;

narrai todas as suas maravilhas.

L3: Gloriai-vos no seu santo nome;

alegre-se o coração dos que buscam o Senhor.

T: Senhor, rendemo-nos a ti e te damos graças!

De tuas mãos recebemos tuas dádivas

e com nossos lábios queremos engrandecer-te,

pois tu és maravilhoso

e tua misericórdia vai além do que se pode narrar.

Nosso coração muito se alegra em estar em tua presença!

Recebe o louvor e gratidão

que provêm de corações imperfeitos.

L1: Buscai o Senhor e o seu poder;

buscai perpetuamente a sua presença.

L2: Lembrai-vos das maravilhas que fez,

dos seus prodígios e dos juízos de seus lábios,

vós, descendentes de Abraão, seu servo,

vós, filhos de Jacó, seus escolhidos.

T: Ele é o Senhor, nosso Deus;

os seus juízos permeiam toda a terra.

L3: Lembra-se perpetuamente da sua aliança,

da palavra que empenhou para mil gerações;

L2: da aliança que fez com Abraão

e do juramento que fez a Isaque;

L1: o qual confirmou a Jacó por decreto

e a Israel por aliança perpétua.

T: Bendito seja o Senhor, nosso Deus!

Aleluia! [Salmo 105,1-11.45b]

Hino “Deus dos Antigos” [TD, 78]

Deus dos antigos, cuja forte mão

Rege os milhares de astros na amplidão,

Ó soberano e excelso Criador,

Com gratidão cantamos Teu louvor.

Aos nossos pais Tu foste inspiração,

Força e poder, vitória e proteção.

Oh! Sobre nós, supremo Amparador,

Seja também o Teu imenso amor!

No torvelinho e na perturbação

Dos tempos maus de um mundo em confusão,

Teu braço forte seja o defensor

Dos que confiam sempre em Ti, Senhor!

Teu povo guia em paz e mansidão,

Testemunhando a Tua redenção

E as nossas vidas cantarão, Senhor,

Com gratidão o Teu eterno amor!

Oração

Saudação [Dirigente]

Interlúdio

Oração Silenciosa

Leitura [Todos, com singeleza]

Admiráveis são os teus testemunhos;

por isso, a minha alma os observa.

A revelação das tuas palavras esclarece

e dá entendimento aos simples.

Abro a boca e aspiro,

porque anelo os teus mandamentos.

Volta-te para mim e tem piedade de mim,

segundo costumas fazer aos que amam o teu nome.

Firma os meus passos na tua palavra,

e não me domine iniquidade alguma.

Livra-me da opressão do homem,

e guardarei os teus preceitos.

Faze resplandecer o rosto sobre o teu servo

e ensina-me os teus decretos.

Torrentes de água nascem dos meus olhos,

porque os homens não guardam a tua lei. [Salmo 119,129-136]

Hino “Venho como Estou” [TD 160, 3a Estrofe e Coro]

Oh! Sem demora, Salvador,

Socorre-me por teu amor,

Pois tu, ó Cristo, és meu Senhor,

Aceita um pecador!

Eu venho como estou,

Eu venho como estou!

Porque Jesus por mim morreu,

Eu venho como estou!

Leitura

L1: Senhor, tão certo como o céu é sem-limites,

nós nos apresentamos como

criaturas limitadas diante de ti;

L3: Senhor, tão certo como as estrelas brilham

neste céu sem fim,

nós nos inclinamos para confessar-te

nossos limites;

T: Deus, Pai que tudo perdoas,

aproxima-te de nós, estende-nos tuas mãos,

conduze-nos pelos caminhos do amor,

da paz, da mansidão, da justiça;

faze-nos solidários, compreensivos e fiéis;

estende-nos teu céu infinito para que nossa finitude

se transforme em luz eterna para a vida,

pois sem ti, Senhor, nada somos e nada seremos. [Alexandre Filordi]

Oração Silenciosa

Interlúdio

Leitura de Romanos 8,26–39 [L2]

Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos.

Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou.

Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? 36 Como está escrito:

Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro.

Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Cântico “Quem nos Separará?”

Quem nos separará do amor de Cristo?

Será a tribulação, angústia ou perseguição

Fome ou nudez, perigo ou espada?

Quem nos separará do amor de Cristo?

Porque eu estou bem certo

De que nem morte, nem vida,

Nem anjos, nem principados,

Nem coisas do presente, nem do porvir,

Nem poderes, nem altura, nem profundidade,

Nem qualquer outra criatura,

Poderá nos separar

Do amor de Deus, que está em Jesus Cristo,

Nosso Senhor, que está em Jesus Cristo.

Nada, nada, poderá nos separar,

Nada, nada, poderá nos separar

Do amor de Deus que está em Jesus Cristo,

Nosso Senhor, que está em Jesus Cristo.

Nada, nada, poderá nos separar,

Nada, nada, poderá nos separar

Do amor de Deus que está em Jesus Cristo,

Nosso Senhor, que está em Jesus Cristo.

Oração de Louvor

Culto Infantil

Leitura de Mateus 13,31-33.44-52

Outra parábola lhes propôs, dizendo: O reino dos céus é semelhante a um grão de mostarda, que um homem tomou e plantou no seu campo; o qual é, na verdade, a menor de todas as sementes, e, crescida, é maior do que as hortaliças, e se faz árvore, de modo que as aves do céu vêm aninhar-se nos seus ramos.

Disse-lhes outra parábola: O reino dos céus é semelhante ao fermento que uma mulher tomou e escondeu em três medidas de farinha, até ficar tudo levedado.

O reino dos céus é semelhante a um tesouro oculto no campo, o qual certo homem, tendo-o achado, escondeu. E, transbordante de alegria, vai, vende tudo o que tem e compra aquele campo.

O reino dos céus é também semelhante a um que negocia e procura boas pérolas; e, tendo achado uma pérola de grande valor, vende tudo o que possui e a compra.

O reino dos céus é ainda semelhante a uma rede que, lançada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. E, quando já está cheia, os pescadores arrastam-na para a praia e, assentados, escolhem os bons para os cestos e os ruins deitam fora. Assim será na consumação do século: sairão os anjos, e separarão os maus dentre os justos, e os lançarão na fornalha acesa; ali haverá choro e ranger de dentes.

Entendestes todas estas coisas? Responderam-lhe: Sim! Então, lhes disse: Por isso, todo escriba versado no reino dos céus é semelhante a um pai de família que tira do seu depósito coisas novas e coisas velhas.

Mensagem — Rev. Marcelo Smargiasse

Oração

Bênção Apostólica

Amém Tríplice

Poslúdio
Created By
Marcelo Smargiasse
Appreciate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.