Loading

Tribo Sioux Pedra em Pé a luta pelo fechamento do Oleoduto de Acesso Dakota (DAPL) - Estados Unidos

Governo da Tribo Sioux Pedra em Pé

"O Governo dos Estados Unidos trabalha em três níveis: Federal, Estadual e Tribal. As reservas tribais têm uma relação de governo a governo com os Estados Unidos. A Grande Nação Sioux assinou tratados em 1851 e 1868 com os Estados Unidos, que são documentos obrigatórios que estabeleceram nossos limites originais e reconheceram nossos direitos como um governo soberano".

As terras da Tribo Sioux Pedra em Pé foram reduzidas a uma reserva pela Lei de 2 de março de 1889. O governo tribal mantém jurisdição sobre todas as terras da reserva, incluindo todos os direitos de passagem, os cursos da água, fluxos de água e riachos que passam por qualquer parte da reserva e outras terras que possam ser adicionadas à reserva de acordo com a lei dos Estados Unidos.

Os membros do Tribo Sioux Pedra em Pé são descendentes das Bandas Teton e Yankton das Nações Lakota / Dakota. A área total do terreno de ‘Pedra em Pé’ (Standing Rock) é de 2,3 milhões de acres, dos quais 1.408.061 milhões são de propriedade tribal. A terra é crucial para os povos Lakota / Dakota.

"A água é a chave para aumentar a qualidade de vida e promover o pleno desenvolvimento econômico na Reserva ‘Pedra em Pé’ (Standing Rock). É necessário um abastecimento adequado de água de boa qualidade para muitos dos (8.278) índios e (3.838) não-índios que vivem na reserva . Os problemas com a qualidade da água e abastecimento inadequado são comuns".

Em 1996, a equipe ambiental tribal declarou os 'locais ilegais de despejo' como o principal problema ambiental, causando problemas de saúde nas comunidades, poluindo o solo e contaminando as águas subterrâneas.
O projeto Oleoduto de Acesso Dakota (Dakota Access Pipeline), também conhecido como Oleoduto Bakken (Bakken Oil Pipeline), envolveria 1.879 quilômetros de oleoduto em Dakota do Norte, Dakota do Sul, Iowa e Illinois, cruzando comunidades, fazendas, terras tribais, áreas naturais sensíveis e habitat de vida selvagem. O oleoduto transportaria petróleo bruto dos campos de petróleo de Bakken em Dakota do Norte para Illinois, onde se conectará com outro oleoduto que transportará o petróleo para terminais e refinarias ao longo do Golfo do México.
A Tribo Sioux Pedra em Pé se opôs ao Oleoduto de Acesso Dakota desde que soube dos planos para o oleoduto em 2014. Membros da Tribo Sioux Pedra em Pé, cuja reserva fica a menos de um quilômetro do oleoduto, disseram que temem algum vazamento nas proximidades do Rio Missouri, o que poluiria a água da qual dependem para pescar, beber e fazer cerimônias religiosas.

Em uma vitória significativa para a Tribo Sioux Pedra em Pé, um juiz federal ordenou uma nova revisão ambiental abrangente do Oleoduto de Acesso Dakota. A decisão do juiz distrital dos Estados Unidos James E. Boasberg concluiu que os "efeitos do oleoduto sobre a qualidade do meio ambiente humano são provavelmente altamente controversos" e que o governo federal não fez um trabalho adequado ao estudar os riscos de um grande derramamento ou se o sistema de detecção de vazamentos do oleoduto era o mais adequado.

Apesar de várias vitórias, a luta para encerrar o Oleoduto de Acesso Dakota (DAPL) continua e o assunto ganhou atenção nacional.

De acordo com membros da Tribo Sioux Pedra em Pé, o Oleoduto de Acesso Dakota foi construído em uma terra considerada sagrada e que foi roubada; isso nunca deveria ter sido considerado em primeiro lugar.

Aja e exija uma avaliação completa dos impactos do oleoduto!

Credits:

1. Peg Hunter; IMG_6441-1; November 15, 2016; (CC BY-NC 2.0). 2. Heather; Western North Dakota; June 23, 2013; (CC BY 2.0). 3. Standing Rock Sioux Tribe Official Logo. 4. Standing Rock Reserve - Google maps. 5. Stephen Melkisethian; #NoDAPL Emergency Rally DC 16; February 8, 2017; (CC BY-NC-ND 2.0). 6. J Troup; South Dakota landscape; April 24, 2013; (CC BY-NC 2.0). 7. Peg Hunter; IMG_6652-1; November 15, 2016; (CC BY-NC 2.0).