Nos trilhos do abandono

Texto e fotos de Custódio Coimbra

Mais de 150 anos separam a Baroneza - primeira locomotiva a vapor do Brasil, construída na Inglaterra a mando do Barão de Mauá - do trem japonês recém chegado ao porto do Rio. A história das ferrovias no Brasil se mistura com a do abandono das máquinas, dos trilhos, das estações e do povo, majoritariamente pobre, que as usa. Neste ensaio fotográfico, é possível passear pelos vagões, conhecer um pouco dos subúrbios da Central, visitar Paracambi, Belford Roxo e até a vila de casas viradas para a linha do trem em Rocha Miranda. Aproveitar a paisagem de Saracuruna à Guapimirim, com estações tão simples que nem as passagens são cobradas. Boa viagem.

A réplica da Baroneza, em Pacobaiba
Estação Central do Brasil
Imagens da Central do Brasil
Engenho de Dentro
Cidade Nova
São Cristóvão (foto grande) e Engenho Novo (foto menor)
Quintino
Os sambistas na estação de Piedade
Jesus é o caminho em Cascadura
As crianças nos trilhos de Rocha Miranda e as passistas em Madureira
Muita ginga em Osvaldo Cruz
Os surfistas em Deodoro
Muito aperto em Bangu
Campo Grande
Belford Roxo e Saracuruna
Parada Ideal
Santa Dalila
A esperança olímpica no Porto do Rio
Created By
Projeto Colabora
Appreciate

Credits:

Texto e fotos de Custódio Coimbra

Made with Adobe Slate

Make your words and images move.

Get Slate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.