Loading

Inovar com a BiBLioTeCa EscOLaR Ana Paula ferreira

INOVAR em Educação

- Inovar para alcançar todos os alunos.

- Flexibilizar o que ensinamos e como ensinamos.

- Mudar: aproveitar as melhores práticas que já utilizamos e abraçar as práticas que refletem uma nova sociedade.

QUE CAMINHO SEGUIR?

Analisar - Experimentar e Avaliar - Difundir e Implementar

OECD - Research & Innovation in education http://gpseducation.oecd.org/revieweducationpolicies/#!node=41773&filter=all

Futuro da educação

3 áreas

- Neurociência

- Digital

- Inteligência Artificial

A. Sampaio da Nóvoa, set.2019

Processo de "metamorfose" da escola (Nóvoa) - (re)construção de um novo ambiente educativo

Flexibilidade - Diversidade - Emoção - Cooperação

Exercício efetivo de autonomia curricular. Os professores são os agentes principais do desenvolvimento curricular e da mudança.

  • Tomar decisões curriculares e pedagógicas.
  • Implementar novas formas de organizar o espaço e o tempo.
  • Ensinar e aprender de forma diferente.
  • Colaborar, partilhar, experimentar, avaliar, melhorar.
  • Envolver "peritos" em determinadas áreas.
  • Procurar respostas "out of the box".

Práticas Pedagógicas

- A organização do ensino prevendo atividades de observação, experimentação e questionamento da realidade de forma integrada;

- A utilização crítica de fontes de informação e o uso preferencial das tecnologias de informação e comunicação;

- A promoção de atividades de intervenção cívica dos alunos, privilegiando a livre iniciativa, a autonomia e a responsabilidade;

- A criação de ambientes estimulantes e potenciadores do desenvolvimento de curiosidade intelectual;

- O desenvolvimento de competências de nível elevado, incidindo em atividades de pesquisa, análise, síntese, avaliação e comunicação.

Despacho nº 5907/2017 (Artigo 18º - Práticas Pedagógicas)

Biblioteca Escolar

  • É um espaço congregador.
  • Vive "fora das paredes" - está onde e quando é necessária.
  • Promove uma cultura de saber na escola.
  • Contribui para o desenvolvimento das diferentes literacias.
  • Mobiliza a correta utilização de recursos tecnológicos que caracterizam a nossa sociedade.
  • Promove a autoformação.
  • Favorece a igualdade de oportunidades no acesso ao conhecimento e ao exercício da cidadania.
BIBLIOTECA ESCOLAR AO SERVIÇO DA APRENDIZAGEM

"As bibliotecas na era digital não são avaliadas tanto pela dimensão da coleção, mas mais pelo efeito que os recursos a que é possível aceder têm nos utilizadores, isto é, no caso das bibliotecas escolares, da dimensão do efeito que têm na melhoria da aprendizagem, o quanto influenciam e apoiam a educação e a preparação para a vida: a qualidade da biblioteca mede-se pelos serviços e conhecimento que fornecem à comunidade de utilizadores."

Chadwell, 2012

The Puzzles Librarians Need to Solve, Lee Rainie (2016)

PROFESSOR BIBLIOTECÁRIO - CURADOR

"Passamos por um tsunami informacional nos dias atuais". Esse tsunami, no entanto, não é sinónimo de “conhecimento”. A informação é cumulativa, o conhecimento é seletivo. (Mario Sergio Cortella)

CURADOR

“A content curator is someone who continually finds, groups, organizes and shares the best and most relevant content on a specific issue online. The most important component of this job is the word continually.” (Rohit Bhargava)

In: Content curation for learning - The complete guide, de Anders Pink

CURADORIA

"A curadoria digital implica a pesquisa, enquadramento e organização da informação, criando um contexto e uma arquitetura fiáveis para que os utilizadores possam recuperar conteúdos adequados às suas necessidades e expectativas."

In: Nunes, Manuela Barreto (2018). Bibliotecas escolares: gestão, desenvolvimento e curadoria de coleções na era digital Lisboa: RBE.

Inovar com a Biblioteca Escolar

A RBE procura que a Biblioteca Escolar, como espaço agregador de conhecimentos e recursos diversificados, seja na escola, um local implicado na mudança das práticas educativas, no suporte às aprendizagens, no apoio ao currículo, no desenvolvimento da literacia digital, da informação e dos média, na formação de leitores críticos e na construção da cidadania.

  • Apoiar projetos dos Conselhos de Turma e outros projetos da escola.
  • Criar projetos, em articulação com os docentes, que desenvolvam as diferentes literacias (leitura, da informação, dos media).
  • Disponibilizar uma "biblioteca digital" adequada a cada projeto, que os alunos e docentes podem aceder em qualquer local.
  • Formar alunos e docentes.
  • Fomentar e dinamizar parcerias.
  • Contribuir para a criação de uma cultura de escola.
  • Apoiar o professor na sala de aula - a biblioteca está ao serviço da missão da escola
  • ...

“Perante os outros e a diversidade do mundo, a mudança e a incerteza, importa criar condições de equilíbrio entre o conhecimento, a compreensão, a criatividade e o sentido crítico. Trata-se de formar pessoas autónomas e responsáveis e cidadãos ativos. “ (in: Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória)

O trabalho na escola deve organizar-se em torno de centros de interesse. Para tal, seria necessário ter em atenção a construção do próprio programa, tendo em consideração “os interesses espontâneos da criança e as atividades económicas locais” António Sérgio (p. 144, 1916).

Link para a apresentação
Created By
Ana Ferreira
Appreciate

Credits:

Criado com imagens de tunnelmotions - "future futuristic corridor" • sasint - "students adult asia" • Priscilla Du Preez - "untitled image" • NeONBRAND - "untitled image" • ludi - "students classroom learn" • Pexels - "book college education" • StartupStockPhotos - "student typing keyboard" • Thought Catalog - "untitled image" • fabio - "untitled image" • PublicDomainPictures - "connect connection cooperation" • rawpixel - "brainstorm business colleagues" • Alesia Kazantceva - "BAnQ Vieux-Montréal" • William Iven - "untitled image" • geralt - "binary binary system data"