Caiu na rede, é peixe Frito, ensopado, assado ou cru, ele é o dono das mesas na Semana Santa

Texto e fotos Berg Silva

O peixe é um alimento que carrega uma simbologia que vai muito além do seu valor nutricional. Traz uma energia de pureza na sua carne leve. Nossa sociedade de formação cristã ajudou a consolidar em nossas memórias esse significado. Muitos católicos ainda seguem a tradição de não comer carne vermelha em nenhuma sexta-feira nos quarenta dias da Quaresma, até a Páscoa. A carne é substituída pelo peixe, especialmente na Sexta-feira da Paixão.

Nas vésperas da Semana Santa, ele tende a desaparecer das bancas. Volta com o milagre do preço aumentado. Em tempos de "Carne Fraca", o preço do peixe tem um argumento a mais para disparar nos mercados.

A família Barcellos, que há cinco gerações vende peixes nas feiras livres do Rio, nos ofereceu os seus pescados frescos para este ensaio fotográfico reclamando da elevação dos preços, que sacrifica o bolso dos clientes. Já se preparando para não deixar os fregueses na mão dão as dicas para se comprar um bom peixe:

- A carne tem que estar rígida, as escamas firmes, os olhos vivos e a guelra vermelha soltando aquela gosma. Sendo assim, pode ser frito, ensopado, assado ou mesmo cru. Peixe é bom de qualquer jeito e melhor ainda na beira da praia.

Created By
Projeto Colabora
Appreciate

Credits:

Texto e fotos de Berg Silva

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.