Loading

Ruth Buendía PERU

Ativista ambiental e líder indígena da comunidade Asháninka, da Amazônia peruana, é conhecida por seu trabalho em defesa de sua cultura e do meio ambiente.

Quando Ruth tinha 12 anos, ela foi deslocada de sua terra junto com sua família, devido ao conflito entre o governo e a organização 'Sendero Luminoso', que afetou principalmente, às comunidades que vivem na floresta central. Seu pai foi morto e ela foi enviada com o resto de sua família para um acampamento improvisado por um ano, quando eles fugiram pelo rio Ene para Satipo. Depois disso, Ruth se mudou para Lima na tentativa de encontrar um emprego para sustentar sua família.

Em 1995, Ruth voltou em Satipo e se matriculou em uma escola noturna. Pouco tempo depois, ela conheceu membros Asháninkas da organização local 'Central Asháninka do Rio Ene' (CARE), onde foi convidada a participar como voluntária. Em 2003, começaram suas atividades políticas, quando facilitou o acesso a documentos de identidade para os membros das comunidades ao redor do rio Ene que tinham migrado devido ao conflito.

A ‘Central Asháninka do Rio Ene’ (CARE) é uma organização política indígena que representa legal e legitimamente 18 comunidades que vivem ao redor do rio Ene, assim como outras 33 comunidades anexadas. Foi criado inicialmente em 1993 e depois foi reorganizado para representar formalmente os Asháninkas. Em 2005, quando a CARE decidiu estabelecer uma diretoria transitória com o objetivo de institucionalizar o movimento, Ruth se tornou a primeira mulher a ser presidente da organização.

A principal vitória de Ruth à frente da CARE foi a paralisação da construção da hidrelétrica de Pakitzapango. Os esforços na defesa do território Asháninka continuaram até 2011, quando a multinacional Odebrecht abandonou a construção de duas usinas hidrelétricas na bacia do rio Ene.

Em 2014, Ruth Buendía recebeu o Prêmio Goldman de Meio Ambiente. Este prêmio é concedido anualmente aos defensores da natureza e do meio ambiente.

A Central Asháninka do Rio Ene (CARE) criou um sistema integral de vigilância. Esta ferramenta permite às comunidades realizar uma inspeção eficaz das atividades dos agentes externos no interior de seus territórios, assim como monitorar os serviços públicos recebidos pelo estado do peru.

Em referência às manifestações que ocorreram no norte do Peru contra um projeto de mineração de ouro em 2012, Ruth disse ao jornal The New York Times:

"Eles acham que vamos quebrar as janelas e protestar como na Conga, mas não vamos. Assim como fazem conosco, com os documentos legais, nós vamos fazer contra eles."

Credits:

1. Ministerio del Ambiente; Premiaciòn a Ruth Buendia Mestoquiari - Premio Ambiental Goldman 2014; May 7, 2014; (CC BY-NC-ND 2.0) 2. Casa de América; Ruth Buendía Mestoquiari, Presidenta de la Central Asháninka del Río Ene (CARE); October 16, 2013; (CC BY-NC-ND 2.0) 3. Logo oficial ORGANIZACIÓN CARE 4. Mike Melrose; Amazon, Peru; June 2014; (CC BY 2.0) 5. Casa de América; Ruth Buendía Mestoquiari, Presidenta de la Central Asháninka del Río Ene (CARE); October 16, 2013; (CC BY-NC-ND 2.0)