AVEIRO A veneza de Portugal

O Distrito de Aveiro pertence à província tradicional da Beira Litoral e localiza-se, na sua maior parte, abaixo dos 100m de altitude, ocupando uma planície costeira que chega a ter cerca de 40 km de largura, na parte sul do distrito. A paisagem desta planície é dominada pela Ria de Aveiro e pelos rios da bacia hidrográfica do Vouga. Para oriente e para norte, o relevo torna-se mais acidentado, subindo-se ainda no distrito de Aveiro até às alturas das serras do Caramulo e da Arada, estendendo-se mesmo até à serra do Montemuro, a nordeste. O nome Aveiro deve-se à existência de numerosas aves palmípedes que povoavam esta área lagunar. O seu primeiro nome terá sido Aviarium. O litoral é arenoso, em paisagem típica de zona lagunar, com um cordão dunar de espessura variável a separar as águas calmas da ria de Aveiro, onde deslizam os coloridos barcos moliceiros, das águas bravas do oceano atlântico. A Ria e a Reserva Natural das Dunas de São Jacinto são pontos de interesse que nenhum visitante deve deixar de conhecer. A gastronomia de Aveiro é rica e variada. As caldeiradas de enguias, a raia em molho de pitau, as enguias de escabeche, as espetadas de mexilhão e um sem número de outras deliciosas iguarias provenientes do mar e da ria fazem as delícias da mesa aveirense. Os ovos moles são o símbolo de Aveiro por excelência.

Aveiro conhecida como a “Veneza de Portugal” é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Aveiro, na Região Centro e pertencente à sub-região do Baixo Vouga, com cerca de 55 291 habitantes, sendo a terceira maior cidade do centro de Portugal. O perímetro urbano é constituído pelas freguesias de Glória e Vera Cruz (a área original da cidade), estendendo-se, ainda, para Aradas, Cacia, Esgueira, São Bernardo e Santa Joana.

LOCALIZAÇÃO
HISTÓRIA

O inicio da História da cidade aveirense remonta ao século X, quando, no documento de doação testamentária pela condessa Mumadona Dias ao Mosteiro de Guimarães (29 de Janeiro de 959), consta a referência a "Suis terras in Alauario et Salinas", sendo esta a mais antiga forma conhecida como topónimo Aveiro.

Em finais do século XVI, princípios do século XVII, a instabilidade da vital comunicação entre a Ria e o mar levou ao fecho do canal, impedindo a utilização do porto e criando condições de insalubridade, provocadas pela estagnação das águas da lagoa, causas estas que provocaram uma grande diminuição do número de habitantes - muitos dos quais emigraram, criando povoas piscatórias ao longo da costa portuguesa - e, consequentemente, estiveram na base de uma grande crise económica e social. Foi, porém e curiosamente, nesta fase de recessão que se construiu, em plena dominação filipina, um dos mais notáveis templos aveirenses: a Igreja da Misericórdia.

Em 1759, D. José I elevou Aveiro a cidade, poucos meses depois de ter condenado por traição, ao cadafalso, o seu último duque, título criado, em 1547, por D. João III. Por essa razão, e a pedido de algumas pessoas notáveis da cidade, à nova cidade foi dado o nome de Nova Bragança em vez de Aveiro, por Alvará Real de 11 de Abril de 1759. Com a queda do poder do Marquês de Pombal, após D. Maria I se tornar rainha em 1777, logo esta mandou voltar a cidade à sua anterior designação.Foi feita Oficial da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito a 29 de Março de 1919 e Membro-Honorário da Ordem da Liberdade a 23 de Março de 1998. Aveiro foi um dos principais portos envolvidos na pesca do bacalhau durante o período ditatorial.

Percorrer AVEIRO

Passeio de MOLICEIRO

A Ria de Aveiro é uma das principais atrações da cidade, com principal incidência nos passeios de moliceiro - barco típico de Aveiro - que se podem fazer para a conhecer. Durante todos os dias, encontram-se junto à ria empresas que incentivam os visitantes a fazer uma viagem de moliceiro.

Percurso de BUGA

Diferente de uma bicicleta tradicional, a BUGA aveirense permite a qualquer pessoa percorrer a cidade gratuitamente, conhecendo todos os cantos e encantos de Aveiro.

Embarcar numa GAIVOTA

As típicas GAIVOTAS A PEDAIS constituem um meio de percorrer a Ria de Aveiro, apesar de se encontrarem mais nas zonas junto às praias aveirenses, em vez do centro da cidade. Podem ser alugadas durante várias horas, permitindo aos visitantes usufruir do clima maravilhoso no interior da Ria.

Visitar AVEIRO

COSTA NOVA

As famosas casas às riscas situam-se na Costa Nova, pertencente ao município de Ílhavo. No verão, são o principal tipo de alojamento procurado por quem decide visitar Aveiro, constituindo paragem obrigatória de quem aqui passa. Os "palheiros", antigos armazéns de materiais de pesca ou de salga de sardinha, são, atualmente, residências balneares.

PRAIA DA VAGUEIRA

A Praia da Vagueira é uma das praias da cidade, conhecida, principalmente, pelo seu extenso passadiço e areal. A vasta zona comercial atrai os visitantes, que podem juntar ao dia de praia, um dia de compras, sem grande deslocação. Os bares com vista para o mar são as preferências de muitos nas noites de verão.

Praia da Barra

A Praia da Barra é a principal praia da costa de Aveiro, elegida por muitos pelo seu extenso areal e águas mais calmas da zona. Constitui, ainda, uma região bastante propícia aos passeios pela avenida, à diversão noturna e ao comércio.

Farol da Barra

O farol da Barra de Aveiro é uma das atrações turísticas durante todo o ano. Com 62 metros de altura e construído entre 1885 a 1893, considera-se o maior farol a nível nacional e da Península Ibérica. A sua potente lâmpada projeta um feixe luminoso visível a 22 milhas náuticas de distância (cerca de 40 quilómetros). É possível visitar este monumento, mas aconselha-se a preparação física antecipada devido à extensa escadaria de acesso.

Símbolos de AVEIRO

OVOS MOLES

Aveiro é conhecido pela "cidade dos ovos moles", um doce típico que atrai milhares de visitantes. Feito com gema de ovo e açúcar, pode ser servido nas típicas barricas - potes de madeira pintados com uma imagem associada ao mar e à atividade piscatória-, ou em doces individuais cobertos com hóstia em forma de ícones ligados ao mesmo tema.

O Azulejo Aveirense

Presentes primordialmente na Estação de Comboio, os AZULEJOS de Aveiro, são uma das muitas atrações turísticas da cidade. O primeiro edifício revestido a azulejos, em Aveiro, data de 1857, correspondendo ao edifício da antiga Capitania do Porto de Aveiro, também denominado “Casa dos Arcos”. Dois painéis na fachada mostram atualmente motivos ligados ao mar, revelando a tradição marítima da cidade e a abertura ao mar e ao mundo, sempre demonstrada.

TRIPA D'AVEIRO

A famosa Tripa d'Aveiro é uma iguaria tradicional e típica, principalmente, do centro da cidade e junto às praias, vendida em pequenas barracas espalhadas pela região. É confecionada com uma massa doce de farinha, leite, açúcar e ovos, que depois de cozida é recheada com inúmeros sabores, para todos os gostos - desde os maravilhosos ovos moles, ao chocolate, às compotas.

ARTE XÁVEGA

A atividade de pesca costeira artesanal, conhecida pela Arte Xávega, remonta ao século XIX e pode ser contemplada, ainda hoje, na Praia da Vagueira. De barco, os pescadores lançam as redes ao mar e cercam os cardumes. Posteriormente, alam a rede para a costa, com a ajuda de juntas de bois. Nesta altura, homens e mulheres, colaboram na azáfama de estender a rede pelo areal e dela arrancar todo o peixe que insiste em voltar para o mar.

E o que há em AVEIRO é sobretudo

AMOR

Lugares inspiradores, gente apaixonante, gastronomia enriquecedora, brisa revitalizante. Assim é AVEIRO.

VISITAR AVEIRO

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.