Capítulo 1

Ética

1.2. Conceito

Etimologicamente, a palavra Ética deriva do grego óikos e significa aquilo que pertence ao caráter. Por esse motivo, podemos dizer que a ética é inerente ao homem.

1. 3. Ética tradicional

A Ética tradicional parte de uma visão filosófica estática, essencialista, imutável e definitiva do homem e do mundo.

Desenvolveu-se na Antiguidade e na Idade Média, sendo dividida em dois momentos: a Ética Antiga e a Ética Medieval. Os filósofos desse período elegeram como objeto de suas reflexões o “coletivo”, ou seja, acreditavam na existência de uma “consciência coletiva" que estava implícita no comportamento humano socialmente aceito por todos.

Ética antiga

Aristóteles e Platão

A Ética antiga foi construída, sobretudo, por Platão e Aristóteles.

Para Platão, a construção da ética estava voltada para o mundo das ideias e os conceitos morais se estabeleciam mediante definições de valores morais com validade universal. Ele atribuía a esses conceitos o Estatuto de Ideias (Justiça, Bondade, Bem, Beleza, entre outras) que pressupõe que os valores são eternos e estão inscritos na alma dos homens. Além disso, sua validade independeria das opiniões que cada um tenha delas.

Já Aristóteles, era visto por muitos como o fundador da Ética, uma vez que propôs uma análise do agir humano que marcou decisivamente o modo de pensar ocidental. Ensinava que todo o conhecimento e trabalho visam algum bem, que é a finalidade de toda ação.

Para o filósofo, a busca do bem é o que diferencia a ação humana da dos animais e a Ética deve ser estudada para melhorar nossas vidas e, portanto, sua preocupação principal é a natureza do bem-estar humano.

Assim, propõe que devemos adquirir, através de educação e hábitos adequados, a capacidade de ver, em cada ocasião, qual curso de ação é mais conveniente. Portanto, a sabedoria ética, como ele a concebe, deve ser adquirida através da prática e habilidades deliberativas, emocionais e sociais, que nos permitem colocar nossa compreensão geral de bem-estar em ações adequadas para cada ocasião.

Ética medieval

Santo Agostinho e São Tomás de Aquino

A Ética medieval foi desenvolvida, sobretudo, por Santo Agostinho e São Tomás de Aquino.

A Ética de Santo Agostinho retoma o pensamento ético de Platão, submetendo-o a um processo de cristianização, incorpora valores morais ligados ao Cristianismo, tais como o bem e o mal, a queda do ser humano e salvação através de Deus.

Já a Ética de São Tomás de Aquino retoma, com o mesmo propósito, a Ética de Aristóteles. Para ele, a ética consiste em agir de acordo com a natureza racional. Todo homem é dotado de livre-arbítrio, orientado pela consciência e possui capacidade inata de captar, intuitivamente, os ditames da ordem moral.

Aquino defende que para o homem alcançar o fim supremo (Deus) e ser feliz, são necessárias, além das virtudes intelectuais e morais (prudência, justiça, fortaleza e temperança) também, e principalmente, as virtudes cristãs: fé, esperança e caridade.

1. 4. Ética pós-tradicional

A Ética pós-tradicional coloca ênfase no "individual" - no racional, no subjetivo, no autônomo.

Parte de uma visão dinâmica e evolutiva do ser humano; fundamentando-se na "consciência individual"

É a Ética das Épocas Moderna e Contemporânea; é a Ética da chamada Modernidade e/ou Pós-Modernidade.

Ética moderna

Immanuel Kant

A Ética moderna é fundada numa compreensão antropocêntrica e racional do ser humano e seu comportamento. Para entendê-la é fundamental notar o contexto histórico.

Na Ética medieval, como propunha São Tomás de Aquino, a felicidade só é adquirida por intermédio de Deus. No entanto, a partir da Idade Moderna, com o movimento Iluminista do século XVIII, a moral passa a ser laica (não religiosa).

Portanto, ser moral e ser religioso não são mais indissociáveis como na Idade Média. Com isso, os valores morais não estão mais pautados em Deus, mas fundamentados na razão do próprio homem.

Kant exerceu decisiva influência para o desenvolvimento da Ética moderna e suas idéias continuam a influenciar o pensamento filosófico contemporâneo. Em sua obra, ele propõe uma moral racional, universal e centrada na liberdade do indivíduo e no valor das ações.

Talvez caminhemos, hoje, para uma Ética pós-moderna que não possui eixos motivacionais das épocas anteriores, contudo expressa seus valores diferenciados, tais como a indignação contra limitações à liberdade.

O objetivo não é alcançar a virtude, mas a obtenção de respeito e envidar esforços para contestar tudo quanto possa limitar os direitos individuais. É por isso que, nesse contexto contemporâneo, podem coexistir valores individuais e coletivos.

Ela demonstra preocupação com os direitos humanos, defende a ecologia e é a base de inúmeras campanhas, como os movimentos contra o fumo, o assédio moral e sexual, a corrupção e a discriminação de todos os tipos, entre outros.

Assim, as atuais manifestações populares em todo o mundo refletem a ampla incorporação dos conceitos éticos contemporâneos e sugerem que a ética já não está contida apenas no pensamento filosófico, mas é exercida naturalmente pela humanidade.

Created By
Vinicius Mendes
Appreciate

Made with Adobe Slate

Make your words and images move.

Get Slate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.