Vamos ao centro? Urgentemente!

"Toda escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra." 2ª Timóteo 3:16,17

Tanto a lei dada a Moisés, com todas as suas extensões, quanto os escritos dos cristãos primitivos visam o aperfeiçoamento do homem em sua caminhada aqui na terra. Deus, em Sua infinita bondade, decidiu guiar o homem a partir de Seus princípios e valores. É assim que acreditamos, todos nós que amamos a Jesus. É nessa empreitada de avaliação de nosso comportamento com o que esses escritos dizem que desenvolvemos nossos dias. Não há outra fonte, pois cremos que essa é viva e eficaz (Hebreus 4:12).

Ao longo da história, é possível ver como o contato com essa palavra muda a realidade ao redor, como é o caso do rei Josias, de Judá, que ao encontrar os escritos da lei se motiva a voltar-se para o Senhor, juntamente com toda a nação (2º Reis 22-23). Grandes homens em outras épocas revolucionaram suas gerações pelo apego a Palavra, por ter colocado ela no centro, como é o caso de Martinho Lutero, João Calvino, Jhon Wesley e tanto os outros. Quando a Palavra está no centro, há uma volta para o Senhor. Ela é o fundamento de toda e qualquer intimidade com nosso criador.

Tenho andado preocupado com o pouco espaço que temos dado a essa Palavra em nossos dias. Apesar de ver, nos últimos anos, alguns grandes homens se dedicarem a dar o devido lugar de honra ao nosso manual de vida, fico triste ao perceber que essa geração é, em muitos momentos e lugares, manipulada por músicas e ensinos egoístas do que pela profundidade do livro que transforma o homem.

Diferente do que se manifesta em nossos dias, a intimidade com Deus não se trata de uma "entrega" durante o culto, no momento de louvor. Não bastasse o agravante de estarmos presenciando um tempo de exaltação do "eu" dentro dos nossos momentos de adoração, essa atitude tem se estendido para além do templo, levando muitos a viverem para si mesmo em suas atividades diárias, buscando o próprio bem estar, alegando serem dignos de toda prosperidade neste mundo, enquanto que os valores e princípios eternos são deixados de lado. Assim, explica-se, por exemplo, por que é mais fácil ser "crente" na igreja do que em casa, na rua, na escola ou na universidade.

Ao escrever a Tito, Paulo fala sobre a graça que educa, além de alertar sobre a pureza e a confiabilidade da sã doutrina. Essa sim é saudável, pode levar o homem a estatura de Cristo, pois é suficiente, não precisando de acréscimo algum, sem firulas ou condimentos. Ao escrever sua segunda carta para o jovem Timóteo, Paulo faz questão de lembrar ao querido "filho" que a Palavra é suficiente para educar o homem a viver no caminho de Deus, ela é inspirada, ela EDUCA. Nada mudou quanto a proposta do Evangelho, nada mudou quanto a eficácia da Palavra, ela ainda é a base da intimidade com Deus. A experiência de um músico expressa em uma canção é formidável, mas, ela não pode ser a base da minha intimidade, pois seria o mesmo que querer ter a intimidade de um casamento sem antes ter passado pela experiência de conhecimento da pessoa.

Talvez estejamos vivendo o tempo predito pelo próprio apóstolo Paulo ainda na segunda carta a Timóteo, quando fala que os homens não suportariam ouvir a Palavra pura (2ª Timóteo 4:3), pelo contrário, procurariam o que fosse mais agradável, contudo, o alerta para o jovem é a sobriedade, o que cabe muito bem aos que querem estar firmes até a volta do Senhor. Que seja anátema qualquer um que queira pregar um Evangelho adulterado!

A Palavra precisa retomar seu lugar de honra em nossas vidas, urgentemente! É ela que discipula o homem que quer agradar a Deus. Ela é o centro, ela nos leva a conhecer o Cristo e esse Cristo nos leva a conhecer o Pai, nosso criador e é a partir disso que me torno íntimo dEle. Mais do que um momento, mais do que uma canção, mais do que uma manipulação emocional, a Palavra transforma e é assim que precisamos viver.

Amilton Joaquim, Maringá, 02 de Abril de 2017

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.