Manual dos Padrinhos da Escola de Comer

Histórico

O programa "Escola de Comer" de Paraty reúne voluntários, professores, merendeiras, nutricionistas e agricultores familiares em um grande esforço para garantir merenda de qualidade para os alunos da rede pública do município. O programa está.em andamento desde 2015. Em seu terceiro ano, a "Escola de Comer" oferece aos estudantes de Paraty um cardápio ainda mais variado e renova seu compromisso de promover a alimentação saudável nas escolas do município.

Metas do programa

  • Estabelecimento de um cardápio nutritivo e balanceado para todas as crianças da rede pública, com produtos da agricultura familiar
  • Redimensionar a logística de compra, distribuição e armazenamento da merenda
  • Qualificar as merendeiras
  • Dar condições de trabalho para a aplicação do novo cardápio
  • Trazer a população para participar da educação através dos padrinhos voluntários
  • Inclusão da educação alimentar no conteúdo pedagógico
REGRAS DO MANUAL DE BOAS PRÁTICAS PARA MANIPULADORES DE ALIMENTOS

Higiene Pessoal

  • O uso do uniforme completo e limpo é obrigatório, incluindo os sapatos que devem ser fechados;
  • Manter as unhas curtas, limpas e sem esmalte;
  • Não utilizar acessórios como colares, pulseiras, brincos, relógios e anéis;
  • Os homens devem fazer barba e bigode diariamente;
  • Utilizar rede de proteção para cabelos;
  • Higienizar as mãos sempre que for iniciar o trabalho, trocar de atividade e após manipular alimento cru, pegar em dinheiro, utilizar o sanitário e recolher o lixo.

Comportamento seguro

  • Não assoar o nariz, tossir, espirrar, mexer nos cabelos ou mascar chicletes durante a manipulação de alimentos;
  • Não deixar roupas, bolsas ou qualquer objeto pessoal na área de manipulação ou estoque de alimentos;
  • Não utilizar loção ou creme hidratante nas mãos e braços;
  • Não experimentar alimentos diretamente com as mãos;
  • Não manipular alimentos quando apresentar qualquer tipo de lesão ou curativo nas mãos. Comunicar o fato imediatamente ao Departamento de Merenda Escolar;
  • A entrada de visitante na cozinha é restrita e quando acontecer, o mesmo deverá utilizar rede de proteção para cabelos.

Armazenamento de Alimentos

  • Não armazenar o material de limpeza junto com os alimentos;
  • Sempre verificar a data de validade dos produtos antes de utilizá-los;
  • Os alimentos com menor prazo de validade devem ser consumidos primeiro;
  • Descartar latas amassadas, estufadas ou enferrujadas;
  • Retirar o lixo diariamente da cozinha, quantas vezes forem necessárias, de forma a evitar contaminação e atração de pragas;
  • A presença de pragas ou insetos na cozinha ou estoque, deve ser comunicada imediatamente à direção da Escola;
  • Armazenar as hortaliças na geladeira ou no freezer no modo refrigeração/ conservação;
  • Nunca deixar os alimentos em contato direto com chão e parede. Os alimentos devem ficar sobre prateleiras e/ou estrados lisos e laváveis
MANUAL DO VOLUNTÁRIO
  • Ser voluntário é compartilhar o seu pão, é dividir suas essências, os seus sabores, os seus saberes... É uma oportunidade para as pessoas contribuírem com a qualidade de vida local e expressarem a sua cidadania, colocando suas potencialidades à disposição das instituições de ensino e da comunidade escolar, além de aproximar a sociedade da gestão institucional.
  • No projeto ESCOLA DE COMER, qualquer pessoa, de qualquer área de formação pode participar, basta a vontade de contribuir voluntariamente;
  • A participação dos voluntários no programa ESCOLA DE COMER agrega valores de enorme importância para o projeto e o tipo de atividade que vai realizar deve estar aliado aos interesses do voluntário com as demandas da instituição, assim ficará mais fácil alcançarmos o sucesso coletivo.
ALGUMAS ORIENTAÇÕES E COMPROMISSOS A ASSUMIR
  1. Apresentar-se à diretoria da escola apadrinhada;
  2. Visitas semanais surpresas;
  3. Sempre que estiver na escola, visitar as instalações onde são armazenados os alimentos da merenda escolar, juntamente com, cozinhas, refeitórios e outros espaços a fins; observar o manual de boas práticas (lembre-se de colocar a touca de visita, observando o uso do uniforme, cardápio correto, qualidade dos alimentos, chegada dos ingredientes), aproveitando para acompanhar os momentos da distribuição das refeições;
  4. Escolher com rigor a área que deseja atuar, conforme seus interesses e habilidades pessoais, garantindo um bom trabalho;
  5. Conversar com coordenadores pedagógicos, gestores e professores para se apropriar do PPP da escola;
  6. Colaborar para o desenvolvimento de conteúdo educativo para a matéria “Arte Culinária Brasileira” a ser incluído no currículo escolar a partir de 2018;
  7. Atualizar o blog Escola de Comer junto com alunos e professores;
  8. Organizar, juntamente com coordenadores pedagógicos e professores a sua participação direta em atividades com os estudantes;
  9. Colaborar para que o projeto do qual faça parte, aconteça! Para tal, sugerimos: LEVANTAMENTO DAS EXPECTATIVAS, PLANEJAMENTO, COMUNICAÇÃO, PARCERIA, FOCO E AVALIAÇÃO;
  10. Participar das reuniões do grupo de voluntários.
  11. Cumprir os acordos combinados nas reuniões do grupo e nas reuniões com as instituições;
  12. Ser responsável no cumprimento dos compromissos assumidos como voluntário, comprometendo-se com o que de fato possa fazer;
  13. Trabalhar de maneira integrada com o seu grupo e com entidade onde prestará serviço;
  14. Manter em segredo alguns assuntos que, porventura, não possam ser comentados livremente;
  15. Tentar resolver os imprevistos diretamente com os gestores e coordenadores das unidades, além de informá-los aos coordenadores do grupo de voluntários.
  16. Armazenar os conteúdos realizados, para serem usados no Blog e no Jornal de Comer, que deve ser impresso no final do ano.
E ainda...
  • Estar atento é preciso! Toda intervenção deve ser baseada em fatos da realidade. Partir da falta de algo, ou de fenômenos ocorridos, pode ser um excelente caminho para desencadear uma ação educativa;
  • Coloque a arte e a culinária como principal linguagem nas práticas educativas, elas são capazes de sanar a dor interior, as frustrações, ajudam a desenvolver a criatividade, além de serem carregadas de ludicidade, que é outra excelente ferramenta de desempenho e desenvolvimento integral dos estudantes;
  • Escute as pessoas, levando em conta seus conhecimentos prévios sobre os assuntos em debate. Considere também suas queixas, porém procure colaborar, no que for possível, para que elas não impeçam a realização do trabalho;

REGISTRO: Fotografias, receitas, filmagens, textos, tabelas, são instrumentos de imenso valor para a tarefa do educador, auxiliando na documentação das atividades, favorecendo o replanejamento das mesmas e servindo de indicadores de êxito das ações pedagógicas.

Vygotsky, educador e psicólogo nos orienta: “o que diferencia o homem do animal é o exercício do registro da memória humana”. (1999, p.76)

Alguns caminhos...Propostas metodolológicas
  1. Contextualização histórica. O que já sabemos?
  2. O homem nada pode aprender senão em virtude do que já sabe – Aristóteles
  3. Apreciação. O que podemos descobrir?
  4. Aprofundar é desenvolver o espírito investigativo do estudante
  5. Construção de conhecimento: demonstrado na parte criativa do estudante, que pode ser uma produção escrita, a execução de uma receita, uma arte cênica, uma apresentação musical e outros.

Algumas estratégias

  • Aulas passeio: Paraty possui um amplo cenário cultural composto de bens materiais e imateriais que, podem e devem ser explorados por nós educadores, no caso da temática: Arte culinária do Brasil, podemos explorar espaços como: alambiques, restaurantes, plantações, cachoeiras, trilhas;
  • Palestras e/ou rodas de conversa em torno de temáticas atuais, de interesse da clientela e com viés na temática: Arte Culinária do Brasil, onde podemos explorar conteúdos como: receitas dos índios, receitas dos portugueses;
  • Pesquisa de campo com entrevistas/coleta de dados/ registros fotográficos e escritos;
  • Atividades experimentais: Produção de alimentos (culinária), Transformação de objetos (reciclagem), montagem de hortas e jardins pedagógicos, laboratórios abertos;
  • Atividades ludo pedagógicas como teatralização, musicalização, artes plásticas e outras...
  • Venda dos produtos das hortas 1x ao mês no Mercado do Produtor Rural
  • Documentários, filmes que possam ser vistos nas escolas
  • Criação de um personagem – voltado para a educação infantil
  • Fazer a entrega da caderneta da merenda junto dos educadores e envolver mais os pais
  • Dividir com outros padrinhos e professores experiências que possam contribuir com outras unidades escolares

Created By
claudia anelli
Appreciate

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.