Loading

Boletim Moeda Forte Agosto 2018

Bancos terão maior liberdade em financiamento imobiliário

03 Agosto 2018 - O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou a maior reforma nas regras do financiamento imobiliário desde a aprovação do instrumento da alienação fiduciária, há duas décadas. O governo concedeu aos bancos maior liberdade para indexação dos contratos e acabou com a destinação do funding da poupança para o Sistema Financeiro da Habitação (SFH).

O novo regulamento mantém a exigência de que os bancos direcionem ao financiamento imobiliário 65% dos recursos captados via depósito de poupança. No entanto, as instituições financeiras não terão mais de destinar 80% desse montante a operações feitas no âmbito do SFH. Em vez disso, terão de utilizar esses 80% para financiar imóveis residenciais.

Haverá, segundo o BC, aumento da parcela dos recursos dos depósitos de poupança destinada à aquisição, construção, reforma e ampliação de imóveis residenciais, estimados em pelo menos R$ 80 bilhões adicionais destinados ao crédito habitacional.

OPINIÃO - Com essa medida, que será válida a partir de 01 de Janeiro de 2019, todos os bancos serão forçados a colocar mais dinheiro no Financiamento Imobiliário direto ao consumidor. Isso vai imediatamente aumentar a concorrência e colocar os juros do financiamento mais baixos e regras mais flexíveis, aumentando a liquidez no Mercado Imobiliário. sem dúvida é motivo de comemoração!

o brasil está barato

Os preços na Cidade de São Paulo ainda são bastante baixos em US$ comparados com as demais metrópoles mundiais. Isso torna o de investimento em moeda estrangeira bastante interessante em SP, mesmo com as oscilações da cotação.

Abaixo, quantos metros quadrados residenciais US$ 1 Milhão compra em cada uma das cidades (em Dez/2017):

Fonte: knightfrank.com

Ponto de INFLEXÃO do Mercado Imobiliário

Segundo o Dicionário, Ponto de Inflexão significa Mudança de Direção. É exatamente onde se encontra o Mercado Imobiliário neste momento.

Pelos cálculos do Secovi, as vendas em Março/18 alcançaram 2.613 unidades residenciais novas na capital paulista. O resultado representa alta de 80,5% em relação às 1.448 unidades comercializadas no mês anterior. Comparado ao volume de 1.233 imóveis comercializados em março de 2017, o crescimento foi de 111,9%.

Em todo o Brasil, ainda pelos dados do Secovi, no acumulado de 12 meses (março de 2017 a fevereiro de 2018) foram comercializadas 25.349 unidades, um aumento de 60,4% comparado ao mesmo período de 2017, quando as vendas totalizaram 15.804 unidades.

De acordo com o Índice de Confiança da Construção (ICST), elaborado pela FGV/Ibre, o ritmo de expansão acompanha o cenário já observado no fim de 2017, que fechou em 81,1 pontos. Trata-se do maior nível desde janeiro de 2015

Caixa baixa juros no SBPE - quais os impactos no mercado?

A Caixa Econômica Federal anunciou corte na taxa de juros das linhas de crédito imobiliário no SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) de 10,25% aa para 9% aa, além de aumentar a cota de financiamento de 50% para 70% do valor imóvel.

Não houveram alterações nas linhas de financiamento atreladas ao FGTS, mantendo as mesmas taxas baixas, entre 5% a 8,16% nas linhas Minha Casa, Minha Vida e no Pró Cotista (conforme a renda do comprador).

Mesmo atrasada com relação aos demais bancos, o corte de juros da Caixa tem impacto muito positivo no Mercado Imobiliário porque o banco detém 70% do mercado de Financiamento Imobiliário no Brasil.

Com esse corte, o mercado vai ficar mais líquido com a realização imediata de novos negócios tanto em imóveis novos quanto usados.

Juros em queda e preços em recuperação: a hora de investir em imóveis é agora

Um olhar sobre as diferentes fontes de dados do mercado imobiliário mostra que uma retomada foi iniciada e que a hora de aproveitar a nova onda do setor é agora

Após pelo menos dois anos de queda acentuada nos preços, no número de lançamentos e também nas vendas, o mercado imobiliário brasileiro está de fato reagindo à retomada econômica iniciada no primeiro trimestre de 2017.

Apesar de o crescimento real, aquele com preços indo além da inflação, com um volume considerável de lançamentos e com um ritmo mais estável nas vendas seja vislumbrado só a partir de 2018, a hora de voltar a investir no setor é agora. Antes que a Selic alcance os 7% ao ano, antes que o estoque volte a ser reposto e antes que os estoques sejam totalmente absorvidos.

Vai faltar imóveis novos !

Em termos de lançamentos, dado que é um termômetro do otimismo do setor, as novas unidades voltaram a crescer. Dados divulgados pelo Jornal da Globo, mostram que, nos últimos 12 meses, mais de 73 mil imóveis foram lançados em todo o Brasil, 4,6% a mais do que nos 12 meses anteriores. As vendas também cresceram, 2,3%.

Porém, com demanda reprimida voltando com força para o mercado, estoques baixos e lançamentos "na planta" retomando gradualmente, de fato vai faltar imóveis novos no mercado no ano de 2018 / 19.

Nível de Emprego

Entre Junho e Outubro de 2017, o nível de emprego formal no país subiu pela primeira vez após 33 meses seguidos de queda, demonstrando uma inversão consistente da curva.

Essa é a média de saldo positivo de empregos no Brasil nos últimos 6 meses: 35 mil novas vagas por mês.

Fonte: G1.com

Created By
Della Rovere Investimentos Imobiliários
Appreciate

Credits:

As fontes de informação são retiradas dos principais portais de notícias brasileiros e internacionais, sendo a opinião de cada um deles independente da opinião da Della Rovere Investimentos Imobiliários

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.