DIÁRIO DE VIAGEM O destino dessa vez é o Canadá. Terra do maple syrup, das paisagens lacradoras e dos intercambistas brasileiros, claro!

O que o Canadá tem de lindo, ele tem de frio

O Canadá é o segundo maior país do mundo (sim, maior que o Brasil!), sendo praticamente do tamanho da Europa inteira. Por ser tão enorme, ele tem espaço tanto para lindas paisagens quanto para cidades animadas.

Ele é o país com mais praias do mundo (243.042 km!), e também com mais lagos de água fresca. Mesmo assim, provavelmente não vai rolar mergulho. A máxima nos verões não passa dos 25º C, e os invernos são sem miséria. É frio mesmo.

Mas não se desanime! O país ainda é lindão. Com neve em boa parte do ano, todo tipo de lugar para visitar, animais para encontrar, e pessoas para conhecer.

A paisagem da foto é do Lago Peyto, nas Montanhas Rochosas Canadianas. Ele fica com essa cor no verão por causa de pedras corroídas pelo gelo que descem da montanha e refletem o sol. Lindo, né?

Mas as pessoas vão garantir uma recepção calorosa

Os canadenses são famosos pelo mundo por serem um povo educado ao extremo, e super receptivo a imigrantes. E não é à toa: só 32% da população se declara canadense. Todo o resto veio de outros países.

Essa cara de bom moço do Ryan Gosling é produção canadense. Não é coincidência, é só o modo canadense de ser.

Toronto e Vancouver, principalmente, estão entre as cidades mais multiculturais do mundo, o que é ótimo para intercambistas. A gente ama conhecer gente diferente, então quanto mais melhor!

A igualdade é coisa séria lá. Por mais que eles não tenham conseguido erradicar o preconceito por lá, eles chegam bem perto, e são uma das nações mais vocais sobre os direitos de minorias.

Pensou que era exagero? Pois pense de novo. O homem na foto é o Primeiro Ministro Canadense Justin Trudeau, na ocasião mostrando o seu apoio na Parada LGBT de Toronto.

Aliás, a política por lá está indo muito bem, obrigado. O último grande acontecimento foram as meias de Star Wars que Trudeau usou em um encontro com o primeiro-ministro da Irlanda. Saiu em tudo quanto é jornal.

E não vamos esquecer de todas as entrevistas engraçadas que ele dá. Tipo aquela vez que ele respondeu haters da internet para o Buzzfeed.

A documentação é só um detalhe

Não sei você, mas eu já me convenci de que o Canadá é demais. E só fica melhor quando você descobre que o sistema de imigração deles é muito de boa. Para a sorte de todo mundo, o Canadá não tem uma política muito rígida para receber intercambistas igual certos países (*tosse* Estados Unidos *tosse*).

Primeiramente, quem não tem um passaporte, vai precisar de um. Dá para agendar um atendimento no site da Polícia Federal. O custo é de cerca de R$ 250 todo o processo leva alguns meses.

Depois, é só pedir um visto de estudante ou turista para o governo canadense. A diferença entre os dois tipos de visto a seguinte: o visto de turista não permite que o estudante trabalhe lá, e só vale por até 6 meses. Já o visto de estudante pode permitir que o estudante trabalhe e dura mais de 6 meses.

O processo do visto é assim: você preenche alguns formulários, se cadastra no site do governo canadense, responde algumas perguntas, manda alguns documentos, paga a taxa de 100 dólares canadenses e espera seu visto ser aprovado. Preparado? Comece aqui.

Comidinhas canadenses são o que todo mundo precisa num dia frio

Culturalmente, os canadenses são mais parecidos com os britânicos do que com os seus vizinhos americanos. Educados, reservados, e acostumados a umas comidas bem esquisitas.

Na foto, o típico poutine canadense: batata frita, molho gravy e queijo derretido.

Por mais que não se encontre refrigerante de guaraná ou pão francês por lá, os canadenses têm os seus charmes com comida. Alguns pratos tradicionais incluem: as bagels de Montreal, bacon peameal, barrinha de Nanaimo, bannock e, é claro, o xarope de bordo.

Francês ou inglês, a escolha é do freguês

Lá no Canadá, as línguas oficiais são o inglês e o francês, mesmo que a maioria (56,9%) do país fale inglês. Mas não deixe os números te enganarem, lá existem cidades inteiras todas trabalhadas no francês.

Amarelo: Inglês ‖ Marrom: Francês

Mesmo que o número de pessoas bilíngues não seja lá muito alto na maioria das cidades, as chances de um intercambista voltar com uma língua extra de lambuja são bem maiores do que se ele fosse para os Estados Unidos, por exemplo.

Na foto, o Flatiron Building, em Toronto. A cidade fica no Cinturão Bilíngue do Canadá, onde o francês e o inglês convivem juntos e uma proporção maior da população é bilíngue.

Toda essa maravilha custa dinheiro, infelizmente

Assim como em qualquer lugar do mundo, o preço para viver no Canadá varia de cidade para cidade, e muda de tempos em tempos. Essa matéria está com números de junho de 2017, mas visitantes do futuro podem conferir números mais recentes pelo Numbeo.

No geral, a situação é a seguinte:

  • O custo de viver no Canadá é, em média, 34% mais alto que no Brasil
  • O aluguel é, em média, 101% mais caro
  • Uma refeição barata custa R$ 37
  • Uma passagem de ônibus custa R$ 7,89
  • Um litro de gasolina custa R$ 2,72

Para intercambistas assalariados no Canadá tem uma notícia boa: por mais que as coisas sejam mais caras que no Brasil, lá eles também ganham mais do que aqui, então o poder de compra de quem vive lá também é maior.

O dólar canadense é esse aí da foto, todo colorido e com os rostos de personalidades importantes. Um dólar canadense vale aproximadamente R$2,50.

CIDADES CANADENSES

Na foto, uma intercambista olhando para Montreal e pensando "Nossa, que escolha ótima vir para o Canadá."

Vancouver

Tem praia, tem montanha e tem conforto

Há mais de uma década, Vancouver recebe o título de "cidade mais habitável do mundo". O lugar é na praia, bem arborizado e super urbano. A competição chega a ser desleal.

48% da população de Vancouver fala inglês, os outros 52% são divididos nas mais variadas línguas.

Agora olha os custos de morar nesse lugar maravilhoso (em comparação com a cidade mais cara do Brasil, São Paulo):

Consumo geral: 27,43% mais caro

Aluguel: 137,73% mais caro

Restaurantes: 38,99% mais caro

Compras de mercado: 71,10% mais caro

Poder de compra da população: 117,20% mais alto

Toronto

Uma capital cultural do Canadá

Toronto é o pacote completo. Quarta maior cidade da América do Norte, multicultural pra caramba, centro financeiro do Canadá, entre as cidades mais seguras das Américas... É um sonho. Mas não é um sonho barato.

Mais de 160 idiomas são falados em Toronto. O principal é o inglês, seguido do chinês e do italiano.

Em comparação com São Paulo, a cidade mais cara do Brasil, os custos de vida de Toronto são assim:

Consumo geral: 19,80% mais caro

Aluguel: 51,53% mais caro

Restaurantes: 29,17% mais caro

Compras de mercado: 32,43% mais caro

Poder de compra da população: 63,26% mais baixo

Montreal

Cidade da diversidade e do francês

Ah, Montreal. Votada a melhor cidade do mundo para estudantes internacionais pelo ranking do Top Universities, essa cidade é um sonho de diversidade, tecnologia e oportunidades. Só não é um sonho para o seu dinheiro.

66,5% da população de Montreal fala francês, 13,2% fala inglês e 0,8% fala português.

Os custos de vida na cidade de Montreal quando comparados com os da cidade mais cara do Brasil, São Paulo:

Consumo geral: 20.16% mais caro

Aluguel: 21.84% mais caro

Restaurantes: 32.82% mais caro

Compras de mercado: 57.84% mais caro

Poder de compra da população: 152.70% mais alto

Moncton

A cidade mais barata do Canadá

Moncton é uma das melhores cidades para estudantes com um orçamento mais apertado. Mas mesmo que ela seja conhecida como uma alternativa barata para Montreal, ela tem os seus charmes próprios. Como por exemplo os incentivos para estudantes internacionais ficarem para trabalhar na cidade mesmo depois da graduação.

64% da população de Moncton fala inglês, 31,9% fala francês.

Mas vamos ao que interessa, os preços. Para comparação, foi usada a cidade mais cara do Brasil, São Paulo:

Consumo geral: 11,44% mais caro

Aluguel: 11,73% mais barato

Restaurantes: 28,29% mais caro

Compras de mercado: 49,53% mais caro

Poder de compra da população: 143% mais alto

O ensino lá é de primeira, e os estudantes são do mundo inteiro

Se o Canadá é o país da diversidade, as universidades não poderiam decepcionar. Elas são muito receptivos a intercambistas.

Olha um exemplo: a melhor faculdade do país, a Universidade McGill, conta com 25% de estudantes internacionais. Tem até página voltada para intercambistas brasileiros no site da universidade!

E ainda tem o fato do lugar ser um castelo. Todo enorme e maravilhoso. Já dá pra babar no campus por esse Tour Online aqui:

Na foto, a Universidade McGill, em Montreal. A melhor universidade do Canadá e uma das 20 melhores do mundo.

As taxas para estudar no país são bem mais baixas do que em outros lugares legais para intercambistas. Na Inglaterra, um ano de faculdade custa, em média, 66 mil reais. Nos Estados Unidos, em média, 72 mil reais. No Canadá, em média 35 mil reais.

Mas esses números podem diminuir significantemente se você descolar uma bolsa.

bolsas de estudos

Todo ano, no Canadá se abrem inúmeras oportunidades de bolsas de estudos para intercambistas. Porque é claro que o Canadá jamais te deixaria na mão. Bem pelo contrário. O próprio governo canadense foi tão legal que organizou essa lista completinha, e atualizada com frequência, das bolsas de estudos que abrem as suas inscrições ao longo do ano.

Porque nós da Universia Brasil somos ainda mais legais, nós postamos no nosso site e nas nossas redes sociais sobre as bolsas de estudos mais recentes para o Canadá e para qualquer outra parte do mundo. É só ficar ligado para não perder!

Tchau, e até a próxima viagem!

Created By
Universia Brasil
Appreciate

Credits:

Shutterstock

Report Abuse

If you feel that this video content violates the Adobe Terms of Use, you may report this content by filling out this quick form.

To report a Copyright Violation, please follow Section 17 in the Terms of Use.